Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Astellas UICC Libbs GBT Abbvie Ipsen Sanofi Grunenthal Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Exame que viu câncer em Simony deve ser feito a partir de 45 anos; entenda

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 05/08/2022 - Data de atualização: 05/08/2022


A cantora Simony revelou nesta semana que foi diagnosticada com um câncer no intestino após realizar uma colonoscopia. Segundo médicos, o exame que analisa o intestino grosso deve ser feito a partir dos 45 anos, mesmo quando não houver sintomas. Apesar da recomendação, é comum que a colonoscopia acabe sendo esquecida em boa parte dos casos.

"Antigamente a recomendação era de que se começasse a partir de 50 anos", explica o cirurgião geral e oncológico Arnaldo Urbano Ruiz, coordenador do Centro de Doenças Peritoneais da Beneficência Portuguesa de São Paulo.

"Mas, por causa dos hábitos de vida e do risco de desenvolver câncer colorretal (câncer de intestino) mais precocemente, recentemente essa idade de 50 anos baixou para 45", completa Ruiz. A Sociedade Americana de Câncer passou a recomendar o rastreamento de câncer colorretal a partir dos 45 anos, após identificar aumento de casos entre pessoas mais jovens.

Após a primeira colonoscopia, se os resultados estiverem normais, o exame deve ser repetido em 3 ou 5 anos, a depender da avaliação, diz Ruiz. Pessoas mais jovens com histórico de câncer colorretal na família devem procurar um médico para que ele avalie a necessidade e frequência do rastreio. Em caso de sintomas, como alteração nas fezes e sangramentos, a recomendação também é buscar ajuda médica.

O exame ajuda a detectar o câncer do intestino (também chamado colorretal) precocemente e a prevenir a doença por meio da retirada de pólipos. Na colonoscopia, um cateter com uma microcâmera é inserido no ânus para analisar as paredes internas do intestino. Tecidos suspeitos, como pólipos, podem ser retirados para uma biópsia posterior.

Esse tipo de tumor é um dos mais comuns na população brasileira - fica atrás apenas do câncer de pele não melanoma e dos tumores de mama e próstata. No Brasil, 40 mil novos casos de câncer colorretal são diagnosticados por ano, entre homens e mulheres, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca). O câncer de intestino abrange os tumores que se iniciam na parte do intestino grosso chamada cólon e no reto (final do intestino, imediatamente antes do ânus) e ânus.

ATENÇÃO
Apesar de o câncer colorretal ser muito comum, o exame para rastreio é bem menos difundido do que outros. "A gente se depara com muitas pessoas que nunca fizeram com 60, 65 anos", diz Ruiz. Ele conta que é frequente ver mulheres que fazem mamografia anualmente, mas nunca fizeram a colonoscopia. O exame pode ser solicitado por qualquer médico que acompanha o paciente, como clínicos, cardiologistas e ginecologistas.

No caso de Simony, a colonoscopia foi indicada depois que a cantora percebeu um gânglio na região da virilha. "Costumo dizer que esse gânglio me salvou", disse ela. Simony aproveitou para ressaltar a importância da colonoscopia após os 45 anos. Ruiz lembra que o exame tem riscos, como perfuração intestinal, mas são raros - os benefícios superam eventuais riscos.

Especialistas lembram que mudanças de hábitos também ajudam a prevenir a doença. O câncer de intestino está ligado a um estilo de vida sedentário, à obesidade, tabagismo e ingestão de álcool e embutidos, como presunto e salsicha. Fazer atividades físicas, emagrecer e melhorar a alimentação ajudam. "As pessoas acham que ter vida saudável é um passaporte para nunca ter câncer, mas o câncer é multifatorial", alerta Ruiz.

Fonte: UOL Viva Bem



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive