top

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Boehringer Eisai Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

[EVENTO] Oncoguia esteve no VII Fórum de Políticas Públicas e Saúde do Homem

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 15/09/2015 - Data de atualização: 15/09/2015


Oncoguia participou do VII Fórum de Políticas Públicas e Saúde do Homem realizado em Brasília no ultimo dia 04/11/2014.

Nesta terça feira 04/11 o Oncoguia esteve presente no VII Fórum de Políticas Públicas e Saúde do Homem na Câmara dos Deputados. O evento foi promovido pelo deputado Jorge Silva (PROS-ES) presidente da Frente Parlamentar de Atenção Integral à Saúde do Homem. O objetivo do fórum foi divulgar e disseminar informações sobre a importância da prevenção e tratamento das doenças específicas do homem. A discussão contou com a participação de especialistas das mais variadas áreas da saúde como a cardiologia, psiquiatria, é claro, os cânceres masculinos.

As maiores contribuições sobre o tema do câncer foram apresentadas pelos especialistas: Dr. Carlos Corradi, presidente da Sociedade Brasileira de Urologia; e Dr. Evanius Wiermann, presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia. Foram levantadas e discutidas as barreiras que impedem a detecção precoce do câncer como o fato do homem não se cuidar, não ir frequentemente a consultas médicas preventivas, só buscarem o serviço de saúde somente quando já sentem algum sinal ou sintoma como exemplo, a dor. O grave resultado disso é o quadro de uma doença avançada, com menores chances de cura e tempo de sobrevida. Segundo o Dr. Conrradi, apenas 34% dos homens vão regularmente aos urologistas.

Dr. Evanius Wiermann, lembrou que ao realizar o rastreamento existe uma chance de se reduzir em até 30% a mortalidade por câncer de próstata, o mais incidente entre os homens no Brasil.  Entretanto ele frisou que apesar de ser extremamente importante ser diagnosticado precocemente, o tratamento muitas vezes pode não ser iniciado imediatamente ou em alguns casos, nem deve ser realizado. Essa decisão é personalizada e se denomina conduta expectante ou observação vigilante ou vigilância ativa.

Evanius também apontou uma mudança nos últimos sete anos no cenário oncológico.  A partir de 2010 houve um aumento de novos estudos e drogas para o tratamento de câncer de próstata trazendo significativos ganhos de sobrevida e qualidade de vida ao paciente. Entretanto apesar da disponibilidade dessas drogas no mercado, no SUS não houve incorporações desses medicamentos, tornando um cenário pobre de tratamento para os pacientes.  A saúde suplementar também não fica de fora.

Outras questões também foram abordadas como a constante exposição dos homens a fatores de risco como o tabagismo, obesidade, alcoolismo e sedimentaremos, além da necessidade de trabalhar o novembro de forma mais abrangente, não reduzindo apenas ao câncer de próstata. O coordenador Nacional da Política de Atenção Integral à Saúde do Homem no Ministério da Saúde, Eduardo Chakora, defendeu a ampliação do novembro azul a todos os outros tipos de cânceres que mais matam homens no Brasil como pulmão, colorretal, pênis e testículos, além de também frisar outras doenças que afetam a saúde do homem. "A campanha do Novembro Azul ajuda muitíssimo na medida em que ela trabalha com a integralidade. Na medida em que ela foca e trabalha o homem, não se cai no reducionismo. Porque o homem é complexo, ele tem vários aspectos para serem trabalhados, a gente não pode focar numa única questão."

O fórum faz parte do Movimento Novembro Azul, campanha de combate ao câncer de próstata.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2017 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive