Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Esposa de Bashar al-Assad é diagnosticada com câncer de mama

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 10/08/2018 - Data de atualização: 10/08/2018



A esposa do presidente Bashar al-Assad, Asma al-Assad, foi diagnosticada com câncer de mama e iniciou tratamento contra a doença num hospital militar de Damasco, disse a presidência da Síria nesta quarta-feira (8).

"Com força, confiança e fé, a senhora Asma al-Assad começa a etapa inicial do tratamento contra o tumor maligno no peito e que foi descoberto em fase inicial", disse a presidência numa mensagem nas redes sociais.

Ao lado da mensagem, foi postada uma fotografia de Asma sentada em uma cadeira, vestindo calças jeans e uma camiseta, com um tubo de administração intravenosa e mais magra do que o habitual. O líder sírio aparece ao lado da esposa sentado em outra cadeira, num singelo e pequeno quarto de hospital.

Anúncios como esse são incomuns no mundo árabe, onde o câncer é considerado um tabu.

A agência de notícias estatal Sana afirmou que Asma, de 42 anos, recebe tratamento num hospital militar de Damasco, sem dar mais detalhes.

Mais tarde, a presidência síria publicou nas redes sociais outra foto de Asma, na qual ela segura um laptop numa mão e uma xícara na outra. "Pertenço ao povo sírio que ensinou ao mundo perseverança, força e como enfrentar as dificuldades. Minha determinação vem da sua determinação e força dos últimos anos", diz o texto publicado junto com a imagem.

A família de Asma é originária da província de Homs. Filha de diplomata e de um cardiologista, a primeira-dama, no entanto, nasceu no Reino Unido. Asma era investidora de bancos em Londres, Nova York e Paris, até se casar com Bashar, em 2000, meses depois de ele assumir a presidência da Síria após a morte do pai. Depois do casamento, ela foi viver com o marido em Damasco. Os dois têm três filhos.

Em várias ocasiões, desde o começo da guerra na Síria em 2011, existiam rumores de que a esposa de Assad tinha deixado o país por motivos de segurança e, inclusive, quando explodiu o conflito foi ventilada a possibilidade de Asma deixar o marido porque se opunha à violência exercida pelo governo contra o povo.

No entanto, permaneceu junto ao marido durante todo o conflito e mostrou apoio ao presidente em vários atos públicos, nos quais Asma ofereceu o rosto mais humano do regime, como em encontros com as famílias de soldados mortos e feridos.

Antes da guerra, Asma estampou revistas de moda, como a Vogue, e chegou a ser chamada de "Princesa Diana da Síria". Porém, após o início do conflito, a primeira-dama foi fortemente criticada pelo seu silêncio face à repressão do governo.

Fonte: G1

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2018 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive