Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Sanofi Grunenthal Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Especialista explica a importância da vacina para pacientes oncológicos

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 27/01/2021 - Data de atualização: 27/01/2021


A vacina se faz essencial para a segurança da saúde pública . Devido ao cenário de pandemia, a corrida pela imunização se tornou emergencial, com o objetivo de diminuir as mortes causadas pelas complicações da COVID-19. Em pessoas que estão em tratamento de câncer, a gravidade pode ser ainda maior. Segundo um estudo de meta-análise da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), os riscos de óbitos em pacientes oncológicos são de 26%, contra 2 a 3% da população geral.

De acordo com a oncologista Carolina Conopca, as pesquisas desenvolvidas das vacinas contra o coronavírus não realizaram estudos em pacientes oncológicos e, por isso, o acompanhamento médico deve ser feito de forma individualizada e próxima. “A vacinação deve ser, sim, a opção mais correta, pois sem a imunização adequada os pacientes oncológicos se expõem a maiores riscos. Além da contaminação pelo coronavírus, o tratamento pode ser dificultado, acarretando atrasos no diagnóstico e monitoramento da doença”, comenta a médica.

Segurança e eficácia da vacina

Ainda segundo a especialista é preferível que os pacientes oncológicos e imunossuprimidos façam a imunização por meio da vacina baseada em vírus inativado. “Para que o paciente seja vacinado e sua integridade física seja preservada, o acompanhamento médico é essencial. Visto que, a segurança se faz importante, como também a eficácia da vacinação, que varia por diversos fatores. Tipo de tumor e extensão da doença são alguns deles, mas devemos lembrar que os benefícios da imunização são significativamente maiores que os riscos”, reforça a oncologista.

Para a SBOC, o momento ideal para vacinar pacientes com câncer é antes do início do tratamento. No entanto, mesmo que o acompanhamento já tenha sido iniciado, a imunização deve ser priorizada. Quando se trata de pacientes que já concluíram a intervenção clínica, caso não haja demais contraindicações, esse grupo também deve ser vacinado em contexto emergencial. Dessa forma, é possível evitar as complicações do coronavírus, diminuir a taxa de transmissão e garantir a continuidade do tratamento de câncer para aqueles que estão em andamento.

As medidas de segurança continuam

Carolina Conopca alerta que a imunização dos grupos nesta primeira etapa da campanha não anula a necessidade das medidas de proteção. “Fazer uso da máscara em locais públicos, evitar aglomerações, utilizar álcool gel e lavar as mãos com sabão por 30 segundos ainda são atitudes essenciais para preservar a segurança de todos. A chegada da vacina é uma esperança para barrar a contaminação da COVID-19, mas ainda temos um caminho longo a ser percorrido, até que a pandemia chegue ao fim e estejamos seguros para nos abraçarmos novamente”, finaliza.

Fonte: Folha Vitória

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2021 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive