Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Erro de diagnóstico leva a avanço de câncer colorretal abaixo dos 50 anos

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 07/03/2019 - Data de atualização: 07/03/2019


Diagnósticos tardios de câncer colorretal levam a tratamentos mais agressivos

Muitas pessoas com câncer colorretal antes dos 50 anos foram inicialmente mal diagnosticadas, o que levou a doença a um estágio avançado.

Essa é a conclusão de um estudo realizado pela Colorectal Cancer Alliance, organização norte-americana de apoio a pacientes, divulgado pela American Association for Cancer Research (AACR).

Apesar do declínio da incidência da doença em idosos, houve um crescimento rápido e alarmante da incidência de câncer colorretal entre jovens adultos nas últimas décadas, segundo o principal autor da pesquisa, Ronit Yarden, diretor de assuntos médicos do Colorectal Cancer Alliance.

“Ainda não sabemos a causa do aumento da incidência em pacientes mais jovens e há pouca consciência dessa tendência entre os profissionais de saúde”, afirmou durante coletiva de imprensa divulgada pela AACR.

O AACR ressalta que pesquisas anteriores mostram que pacientes com câncer colorretal abaixo de 50 anos são frequentemente diagnosticados em fases posteriores da doença, o que exige tratamentos mais agressivos e leva a baixas taxas de sobrevivência.

Neste estudo, a Colorectal Cancer Alliance realizou uma pesquisa abrangente sobre as experiências clínicas, psicossociais, financeiras e de qualidade de vida dos pacientes.

Cerca de 70% foi diagnosticado em estágio avançado

Ao todo, o estudo entrevistou 1.195 pessoas. Cerca de 57% delas receberam o diagnóstico entre 40 e 49; 33%, entre 30 e 39 anos e cerca de 10% antes dos 30.

Em torno de 30% relataram história familiar de câncer colorretal e 8% foram diagnosticados com síndrome de Lynch, uma síndrome genética associada a um maior risco de câncer, em geral.

O estudo ainda constatou que 70% dos entrevistados foram diagnosticados no estágio 3 ou 4, os mais avançados da doença, o que contrasta com pacientes acima de 50 anos, significativamente mais propensos a serem diagnosticados nos estágios 1 e 2.

Cerca de 60% dos entrevistados afirmaram que esperaram de 3 a 12 meses para procurar um médico após o início dos sintomas, pois não os reconheciam como sendo de câncer.

Em torno de 77% consultaram pelo menos dois médicos antes de receber o diagnóstico correto, de câncer colorretal. Alguns entrevistados tiveram que ir em até quatro médicos. O pesquisador frisa que muitos desses pacientes foram inicialmente diagnosticados erroneamente, levando a atrasos no tratamento.

Sintomas são confundidos com hemorroida

Yarden afirma que o câncer colorretal pode ser difícil de diagnosticar em qualquer paciente porque os sintomas, que vão desde cólica abdominal e fagida a perda de peso e sangue nas fezes, podem estar associados a diferentes condições.

“Os médicos podem atribuir os sintomas de pacientes jovens a hemorróidas ou síndrome inflamatória do intestino e podem não ter a urgência em encaminhá-los para exames que detectam o câncer colorretal em estágio inicial”, disse.

Ele frisa que é preciso que os jovens estejam cientes de que o câncer colorretal pode acontecer em qualquer idade. “Não é uma doença de pessoas idosas”, afirma. “Todos deveriam escutar seu corpo e, caso não se sintam bem, têm de ir ao médico e fazer exames”.

A recomendação, de maneira geral, é que se iniciem os exames preventivos a partir dos 45 anos. Já pessoas com histórico familiar de câncer colorretal devem realizá-los 10 anos antes da idade que o parente teve o diagnóstico da doença, segundo a AACR.

Fonte: R7

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive