Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Astellas UICC Libbs GBT Abbvie Ipsen Sanofi Grunenthal Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Entenda a relação entre obesidade e câncer

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 10/02/2022 - Data de atualização: 10/02/2022


Como estamos no mês em que se comemora o Dia Mundial de Combate ao Câncer, que foi dia 4 de fevereiro, é muito importante fazermos aqui um alerta no que se refere à relação da obesidade com o câncer.

A obesidade vem crescendo de forma exponencial no Brasil e no mundo. Por conta disso, um alerta vem sendo emanado de várias frentes, visando o combate e a prevenção da obesidade.

Vários estudos têm sido realizados e com eles informações importantes são trazidas, como é o caso da relação da obesidade com o câncer.

Percebe-se que a mudança dos hábitos alimentares, assim como o sedentarismo, são fatores que aumentam o risco da incidência de tumores, além do tabagismo e do consumo de álcool. As pessoas passam a comer mais alimentos processados e ultraprocessados do que alimentos naturais e praticam cada vez menos exercícios físicos regularmente.

Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.
Essas duas condições somadas, ou seja, mudança nos hábitos alimentares e pouca prática de exercícios físicos, levam a um aumento no ganho de peso da população.

Estudos mostram que o ganho de peso de forma excessiva aumenta as chances do surgimento de determinados tumores, o que na mulher seria o câncer de mama, e no homem o de próstata. Contudo, outros tipos de tumores também estão relacionados à obesidade, como é o caso dos tumores de endométrio, vesícula biliar, rim, fígado, esôfago, ovário e pâncreas.

A obesidade é um gatilho para o aumento da resistência insulínica, um processo inflamatório constante onde diversos mediadores bioquímicos são secretados na circulação e podem possibilitar a proliferação celular, predispondo ao câncer, e também ao aumento da produção de hormônios sexuais pelas células de gordura.

Políticas públicas são extremamente importantes para diminuir a incidência do aumento da obesidade, assim como foi feito na década de 1980 com o tabagismo.

A maioria das pessoas acredita que a obesidade causa apenas problemas cardíacos e diabetes, porém é fundamental alertar que é um importante fator que influencia a maior incidência de câncer. Prevenir ou tratar a obesidade adequadamente é decisivo para diminuir a incidência da doença.

Eduardo Rauen é médico nutrólogo e diretor técnico do Instituto Rauen (Instagram: @institutorauen)

Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem, necessariamente, a opinião de Forbes Brasil e de seus editores.

Fonte: Forbes 



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive