Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Empatia entre médico e paciente com câncer é primordial durante o tratamento

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 30/08/2019 - Data de atualização: 30/08/2019


Susana Naspolini (esq.), jornalista e escritora, Marcia Stephan, psico-oncologista, Juvenal Filho, oncologista na clinica OncoCamp e a jornalista da Folha Beatriz Peres - Reinaldo Canato/Folhapress

A relação solidária entre paciente e médico é fundamental no tratamento do câncer, concluíram debatedores no seminário "Medicina de Precisão contra o Câncer", realizado pela Folha nesta quinta-feira (29), em São Paulo.

Segundo a psicóloga Márcia Stephan, há pouco tempo não se pensava em dar voz ao paciente. “Isso era visto como uma espécie de heresia”, disse.

Para a jornalista Susana Naspolini, que já passou por quatro incidências de câncer, a relação de cumplicidade entre médico e paciente tem extrema importância no tratamento. “Cada vez mais eu percebo a diferença que faz você estar diante de um médico que te olha e não enxerga um câncer.”

Segundo Naspolini, a postura de superioridade e, muitas vezes, de distância que alguns médicos têm acaba intimidando o paciente, que sente vergonha de perguntar e fica mais angustiado. 

Márcia, que também foi paciente de câncer (já teve cinco melanomas), afirmou que é necessário dar  abertura para o doente falar. “Senti em mim a dificuldade de falar sobre os medos que eu sentia. Precisava de alguém que me entendesse.”

A conduta do médico na hora de transmitir as notícias sobre o andamento do tratamento também foi questionada durante o debate. Para a psicóloga, depende do perfil do paciente: há os interessados em saber todos os detalhes e os que preferem receber apenas as instruções sobre o que fazer.

De qualquer modo, ela aconselha que se evite o bombardeio de informações. “Quando a pessoa vai a um profissional, ela quer uma parceria e não uma enciclopédia.”

Juvenal Filho, oncologista clínico há 40 anos, disse que busca cada vez mais uma relação humanizada entre médico e paciente na clínica em que trabalha em Campinas (SP).

O médico conhece a doença pelos dois lados. Sua filha teve um diagnóstico de leucemia linfoide aguda aos 9 anos. A menina se curou e enfrentou outro tipo de câncer, raro, anos mais tarde. “Aprendi muito nesses processos.”

Susana contou que sentiu medo a cada diagnóstico positivo que recebeu, mas que é importante não se deixar imobilizar. “O medo de fazer exame é legítimo, mas precisa ser enfrentado, porque, quando mais cedo a doença for detectada, melhor.” 

Para Márcia, especializada em atender pacientes com a doença, "a pessoa adoece exatamente do jeito que ela é". "Ela enfrentará a doença do jeito que costumava enfrentar as outras coisas da vida”.  

Após o quarto diagnóstico de câncer, Naspolini decidiu escrever um livro para contar sua experiência: "Eu Escolho Ser Feliz" (ed. Agir, R$ 29,20, 155 págs), lançado neste ano. “Esse fantasma do câncer vai me acompanhar pelo resto da vida. É um exercício que a gente tem de fazer, de não entrar na neura da doença e achar que tudo na nossa vida é câncer”, concluiu.

Fonte: Folha de S.Paulo

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive