Núcleo de

Advocacy

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia Sanofi Grunenthal Sirtex Servier Oncologia


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Em reunião da Diretoria Colegiada da Anvisa, é aprovada Resolução sobre o registro de radiofármacos

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 17/12/2020 - Data de atualização: 17/12/2020


Nesta quarta-feira (16), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária realizou a continuação da 23º Reunião da Diretoria Colegiada.

Os diretores aprovaram a proposta de Resolução de Diretoria Colegiada que dispõe sobre o registro, notificação, importação e controle de qualidade de radiofármacos e dá outras providências; proposta de Instrução Normativa que regulamenta a documentação necessária para o protocolo de registro de radiofármaco e Propostas de Instrução Normativa que regulamenta a lista de radiofármacos passíveis de apresentarem dados de literatura para comprovação da segurança e eficácia. 

A relatora, Alessandra Soares, destacou as contribuições da Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear sobre a importância da disponibilização desses medicamentos nos quais são imprescindíveis para a medicina nuclear, tanto para o diagnóstico, quanto para o tratamento de pacientes com diferentes tipos de cânceres. Acrescentou que são utilizados ainda em outras áreas médicas como cardiologia, hematologia e neurologia. 

Ela enfatizou que as propostas aprovadas tem como principal objetivo flexibilizar alguns requisitos regulatórios para facilitar a entrada de novos radiofármacos no mercado brasileiro. Por isso, foi estabelecido que os radiofármacos isentos por registro, regularizados mediante notificação, devem atender aos seguintes requisitos em consonância com o que é exigido mundialmente: não deve haver radiofármacos com IFA idêntico registrado na Anvisa; deve ser comercializado pronto para o uso na sua forma radiomarcada; deve ser produzido mediante prescrição por profissional legalmente habilitado, para pacientes específicos; a produção não deve ultrapassar 100 prescrições por radiofármacos por semana, por unidade produtora; não deve existir medicamento registrado na Anvisa com finalidade diagnóstica ou terapêutica equivalente disponível no mercado; deve ser produzido no Brasil em unidade produtora que possua licença de funcionamento e autorização de funcionamento para fabricação de medicamento; deve ser produzido em unidade produtora que comprove o cumprimento das respectivas boas práticas de fabricação; deve ser produzida em unidade devidamente licenciada pela Comissão Nacional de Energia Nuclear; a unidade produtora do radiofármaco deve possuir laboratórios de controle de qualidade próprio e devidamente equipado para realizar os ensaios necessários para a liberação do radiofármaco.

Manifestação da Anvisa sobre Projeto de Lei que confere celeridade ao exame de pedidos de patente relacionados a equipamentos de combate à pandemia

A diretora Alessandra Bastos Soares realizou leitura do processo referente ao Projeto de Lei do Senado Federal 2410/2020 que "Altera a Lei nº 9.279, de 14 de maio de 1996, que 'regula direitos e obrigações relativos à propriedade industrial', para conferir celeridade ao exame de pedidos de patente relacionados a produtos, processos, equipamentos e materiais essenciais para o combate a epidemias".

A relatora, destacou que o tema proposto no projeto de lei já acontece, uma vez que o INPI, por suas normativas internas, já dispõe de sistema de priorização de exame de pedidos de patentes de interesse do Sistema Único de Saúde (SUS).

Os diretores Antonio Barra e Alex Barro pediram vista ao processo.

Manifestação da Anvisa sobre Projeto de Lei que institui o Plano Protege Brasil em Defesa da vida e retorno gradual das atividades sociais e econômicas no contexto do enfrentamento da pandemia provocada pelo Covid-19

Foi aprovado pelos diretores, a manifestação do diretor-presidente, Antonio Barra, sobre o Projeto de Lei 2430/2020 que institui o Plano Protege Brasil em Defesa da vida e retorno gradual das atividades sociais e econômicas no contexto do enfrentamento da pandemia provocada pelo Covid-19 e dá outras providências, de autoria do Deputado Federal Alexandre Padilha.

De acordo com o relator, não cabe manifestação da Anvisa sobre o tema, uma vez que o projeto e lei não apresenta conteúdo que afeta diretamente as atividades da agência. 

Foram retirados de pauta os seguintes itens:

  • 2.4.17: Proposta de Resolução de Diretoria Colegiada para atualização das listas do Anexo I da Portaria SVS/MS nº 344, de 199.
  • 3.1.2.1 -  Diretor Relator: Antonio Barra Torres Recorrente: Fundação Baiana de Pesquisa Científica e Desenvolvimento Tecnológico, Fornecimento e Distribuição de Medicamentos – Bahiafarma.
  • 3.2.1.4 : Julgamento de recursos administrativos.
    Diretora Relatora: Alessandra Bastos Soares
  • 3.2.1.5: Julgamento de recursos administrativos.
    Diretora Relatora: Alessandra Bastos Soares.
  • 3.4.1.2: Julgamento de recursos administrativos.
    Recorrente: Biolab Sanus Farmacêutica Ltda.
  • 3.4.1.3: Julgamento de recursos administrativos.
    Recorrente: Biolab Sanus Farmacêutica Ltda.
  • 3.4.1.4: Julgamento de recursos administrativos.
    Recorrente: Biolab Sanus Farmacêutica Ltda.
  • 3.5.1.1: Julgamento de recursos administrativos.
    Recorrente: Biowell América Ltda.
  • 3.5.1.2: Julgamento de recursos administrativos.
    Recorrente: Biowell América Ltda.
  • 3.5.5.1: Julgamento de recursos administrativos.
    Recorrente: Nestlé Brasil Ltda.
  • 3.5.5.2: Julgamento de recursos administrativos.
    Recorrente: Nestlé Brasil Ltda.

Foram mantidos na pauta os itens:

  • 3.3.1.1: Julgamento de recursos administrativos.
    Recorrente: Biolab Sanus Farmacêutica Ltda.
  • 3.3.9.1: Julgamento de recursos administrativos.
    Recorrente: Milleventi Comércio, Importação, Exportação e Assessoria Ltda.
  • 3.3.10.1: Julgamento de recursos administrativos.
    Recorrente: Oceanus Agência Marítima S/A.

Os itens mantidos na pauta, constarão imediatamente na pauta da próxima reunião da Diretoria Colegiada.

Foi concedida vistas aos seguintes itens:

  • 3.1.1.1:Julgamento de recursos administrativos.
    Recorrente: Farmace Indústria Químico-farmacêutica Cearense Ltda.
  • 3.4.1.1: Julgamento de recursos administrativos.
    Recorrente: Aurobindo Pharma Indústria Farmacêutica Ltda.

Itens aprovados sob relatoria do diretor Antonio Barra Torres:

  • 5.5.3.1: Revisão de Ato.
    Recorrente: Fundo da População das Nações Unidas.

Itens aprovados sob relatoria da diretora Alessandra Bastos Soares:

  • 3.2.1.2 Julgamento de recursos administrativos.
    Diretora Relatora: Alessandra Bastos Soares Recorrente: Exeltis Laboratório Farmacêutico Ltda.
  • 3.2.1.3 Julgamento de recursos administrativos.
    Diretora Relatora: Alessandra Bastos Soares Recorrente: Laboratórios B. Braun S/A.
  • 3.2.3.1:Julgamento de recursos administrativos.
    Recorrente: Galena Química e Farmacêutica Ltda.
  • 3.2.3.2: Julgamento de recursos administrativos.
    Recorrente: Past Consultoria e Serviços Especializados Ltda. – EPP.
  • 3.2.9.1: Julgamento de recursos administrativos.
    Recorrente: IOL Implantes Ltda.
  • 5.2.9.1: Revisão de Ato.
    Recorrente: Collect Importação e Comércio Ltda.

Itens aprovados sob relatoria da diretora Meiruze Sousa Freitas:

  • 2.4.12: Proposta de Resolução de Diretoria Colegiada que altera a Lista das Denominações Comuns Brasileiras (DCB).

Itens aprovados sob relatoria da diretora Cristiane Rose Jourdan Gomes:

  • 2.4.14: Proposta de Resolução de Diretoria Colegiada que estabelece as instruções de preparo, uso e conservação obrigatórias na rotulagem de produtos de carne crua suína e de aves.
  • 2.5.3: Proposta de consulta interna para revisão da Portaria nº 1.741, de 12 de dezembro de 2018, que dispõe sobre as diretrizes e os procedimentos para a melhoria da qualidade regulatória na Anvisa e da Orientação de Serviço nº 56/ANVISA, de 18 de dezembro de 2018, que dispõe sobre o fluxo para a elaboração e a deliberação de instrumentos regulatórios.
  • 3.4.4.1: Julgamento de recursos administrativos.
    Recorrente: Força Química Ltda.

Itens aprovados sob relatoria do diretor Alex Machado Campos:

  • 2.4.18: Proposta de Resolução de Diretoria Colegiada que dispõe sobre as medidas de enfrentamento à pandemia de Covid-19 a serem adotadas em aeroportos e aeronaves.
  • 2.4.19: Proposta de Instrução Normativa que dispõe sobre Boas Práticas de Fabricação de fórmulas dietoterápicas para erros inatos do metabolismo.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2021 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive