Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Divórcio e falta de desejo assustam pacientes com câncer de mama

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 31/10/2018 - Data de atualização: 31/10/2018


Além da doença, mulheres têm que lidar com outros medos durante tratamento

O abandono no momento em que a paciente mais precisa. A separação e o divórcio são uma realidade, embora pouco discutida na vida das mulheres que enfrentam o câncer de mama.

Após receberem o diagnóstico, além do combate à doença, elas precisam lidar com incertezas, dúvidas e ansiedades relacionadas ao casamento.

Muitos casais que juram amor "na saúde e na doença" não são capazes de resistir ao fardo pesado da confirmação da presença de um tumor. "Ao receber o diagnóstico de um câncer de mama, além do choque inicial e do medo da morte, muitas mulheres relatam o receio de perder o parceiro. E, infelizmente, esse tipo de abandono acontece com certa frequência", conta a psicanalista Débora Damasceno, diretora da Escola de Psicanálise de São Paulo.

Além disso, a perda do cabelo e ou da mama são lutos do lado feminino da paciente difíceis de serem superados. A autoestima fica comprometida e o medo de não agradar mais o companheiro pode aparecer. "Muitas têm a sensação de que o marido ou o namorado não vai mais sentir desejo, muitas acham que ele pode sentir nojo ao ver a mama pós mastectomia. E, assim, elas não permitem mais explorar os momentos íntimos e se afastam. Alguns homens compreendem bem e ajudam, mas outros realmente acabam não aguentando", explica a psicanalista.

Débora acrescenta que, em alguns casos, a paciente pode até mesmo sofrer abusos do companheiro. "Algumas mulheres poderão sofrer abusos, não são compreendidas e acabam cedendo às pressões sem ter vontade, apenas para agradar o companheiro", enfatiza.

No meio disso tudo, podem ocorrer agressões verbais e ofensas que mexem com o emocional. Dar a volta por cima pode não ser nada fácil. O ideal, nesses caos, é procurar ajuda psicoterapêutica para enfrentar o câncer e ficar mais segura para lidar com as questões emocionais envolvidas.

Fonte: R7

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2018 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive