top
De Paciente

para Paciente

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Boehringer Eisai Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Devemos trocar de Médico?

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 09/05/2016 - Data de atualização: 09/05/2016


"Eu não me sinto confortável com o meu médico." Já ouvi muito de outros pacientes a respeito.

Às vezes, parece algo como "Eu não combino com meu médico e me pergunto se deveria fazer algo sobre isso.". Mas, outras vezes, dizer isso inclui um sentimento de impotência: "Eu não combino com meu médico e não há nada que eu possa fazer a respeito."

Devo dizer que nunca tinha experimentado nada disso durante o tratamento contra o câncer, pois escolhi minha equipe médica por razões muito específicas: queria a  mais inteligente que pudesse encontrar e busquei apoio emocional em outros lugares. Porém, quando tentei engravidar, confesso que  fiz desse experiência um grande dilema. Não vou entrar em todos os detalhes, basta dizer que ter um filho foi um processo complicado para mim e meu marido durante muitos anos.

Começamos nossa jornada com uma médica super inteligente, ágil, profissional e também a pessoa mais experta na sala. Mas, eu não me sentia confortável com ela. Ela não era afetiva e não senti que poderia apenas conversar com ela, e olha que eu sou o tipo de pessoa que fala até com as pedras.

Então, no meio do caminho pedi para alternar os médicos. Felizmente eu estava fazendo meu tratamento em um grande centro médico, ou seja, haviam possibilidades. Escolhi outra médica e ela transbordava preocupação, empatia e me tranquilizou a cada passo que dava. Senti que ela realmente compreendia quão assustados e desesperados os pacientes se sentem durante a realização de tratamentos para fertilidade.

Lembro que estava deitada no hospital após a transferência do embrião que resultou na minha filha, que hoje tem 15 anos. Minha médica chegou até mim, olhou nos meus olhos, apertou meu braço e disse baixinho: "Boa sorte". Naquele momento, senti que ela estava olhando para minha nervosa e esperançosa alma.

Não sei se aquela maneira de ficar na minha cabeceira ajudou a garantir o sucesso do tratamento de fertilidade, mas gosto de pensar que sim.

Nós não compreendemos o papel do estresse emocional na doença. Mas acho que os pacientes, especialmente os pacientes de câncer, devem tentar tudo o que puderem. Se você não se sentir confortável com seu médico, por qualquer motivo, então mude!

Existem muitos oncologistas no mundo. Todos com diferentes estilos e personalidades. E existem muitos pacientes no mundo com personalidades e estilos diferentes. Compatibilidade é importante. Você contará com esta pessoa através de seu tratamento e também através da incerteza e de contratempos angustiantes, mas também contará para os  triunfos. E por tudo isso, você deve e TEM que se sentir confortável com essa pessoa.

Não se preocupe em ferir os sentimentos do seu médico. Eu me preocupei com isso na situação que descrevi acima, mas superei e agora tenho uma relação cordial com a primeira médica. Também não se preocupe por não ter "uma boa razão para isso" ou seja, uma razão médica.

Se você é um paciente oncológico, sei que está em um momento onde tem que lidar com muitas coisas. E sentimentos estranhos sobre seu oncologista/cirurgião/radioterapêuta não devem ser um desses pontos dolorosos.

Se você não pode se relacionar bem com sua equipe médica, mude. Você pode procurar outro profissional. Isso é um direito seu! E a sua saúde emocional agradece.

C.R


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2017 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive