Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Deputada cita dados do Instituto Oncoguia em discurso na Câmara dos Deputados

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 04/11/2019 - Data de atualização: 04/11/2019


Em discurso realizado no Plenário da Câmara dos Deputados, a Deputada Marina Santos (Solidariedade-PI) abordou a importância do autoexame e da realização de mamografia na detecção do câncer de mama.
 
Para a Deputada é importante informar que através da mamografia é que reside uma fonte segura e assertiva de efetivo reconhecimento da doença. “O Instituto Oncoguia traz dados que indicam que 95% dos casos identificados em estágio inicial têm possibilidade de cura. Por isso, esse exame é imprescindível, sendo o principal método para o rastreamento da doença”, acrescentou.

Ressaltou que, segundo a Sociedade Brasileira de Mastologia, das 11 milhões de mamografias que deveriam ter sido realizadas no ano passado, apenas 2,7 milhões foram feitas. “A diminuição acentuada do exame é um fator de risco para milhares de mulheres e um alerta para a importância da campanha”, informou.

Segundo a Deputada, o câncer de mama é o segundo tipo que mais acomete brasileiras, representando em torno de 25% de todos os cânceres que afetam o sexo feminino. “Só no meu Estado, o Piauí, ele apresentou, segundo os dados do Inca, entre o ano passado e este ano, 600 novos casos de câncer de mama e 430 casos de câncer de colo de útero, outra doença também referenciada na campanha do Outubro Rosa”, explicou.
 
Marina também ressaltou que é fundamental estarmos atentos ao autoexame, que  é uma ferramenta importante, porém insuficiente para o diagnóstico.

Outro ponto destacado pela Deputada foi sobre às fake news e informações incompletas que induzem a população a cuidados inadequados diante da complexidade desse assunto. “Devemos estar atentos para combater essas práticas que podem trazer graves consequências aos pacientes oncológicos”, enfatizou.

Matéria publicada pela NK Consultores em 31/10/2019.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive