Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia Sanofi Grunenthal Sirtex Servier Oncologia


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Conheça as diferentes máscaras para se proteger contra o coronavírus

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 06/05/2020 - Data de atualização: 06/05/2020


Item indispensável para ajudar a impedir a propagação do novo coronavírus em todo o mundo, as máscaras faciais são recomendadas para todas as pessoas que precisam sair às ruas para trabalhar ou realizar alguma tarefa essencial. Entretanto, conhecer qual tipo usar e para que serve cada uma delas não é uma tarefa simples. A supervisora do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH), do IBCC Oncologia, Micaela Viu, destaca as variações mais comuns das máscaras e o tipo de proteção que cada uma oferece.

Para profissionais da saúde em situações específicas: Máscara N95 ou PFF2

É feita com poliéster e outras fibras sintéticas, incluindo camadas de fibras emaranhadas que atuam como filtro para dificultar a passagem de partículas. A N95 é indicada para uso de profissionais em procedimentos com potencial de geração de aerossóis, partículas finas e leves que ficam suspensas no ar. Tem formato curvo para oferecer mais aderência ao rosto de quem utiliza. Apesar de ser apontada como uma das mais eficazes, fazer o ajuste correto é um dos fatores essenciais para garantir a proteção.

Para profissionais da saúde, pessoas com suspeita ou confirmação de covid-19: Máscara cirúrgica

A mais comum é a branca, mas existem outras cores disponíveis. Deve ser confeccionada de material tecido-não-tecido (TNT), possuir no mínimo uma camada interna, uma externa e obrigatoriamente um elemento filtrante. As máscaras cirúrgicas são usadas para evitar a contaminação da boca e nariz de profissional de saúde quando estiver a uma distância inferior a 1 metro do paciente suspeito ou confirmado de infecção pela covid-19. Ela também deve ser utilizada em pessoas que estejam com sintomas de infecção respiratória para que se impeça a transmissão. São máscaras descartáveis e não podem ser limpas ou desinfetadas em qualquer hipótese após o uso, devendo ser descartada sempre que úmida ou suja. Neste momento de pandemia também é aconselhável seu uso por pessoas sem sintomas quando sair de casa.

Para pessoas em geral fora do ambiente de instituições de saúde: Máscara de tecido caseira

Deve utilizar um material denso o suficiente para capturar partículas virais, mas também deve oferecer facilidade na respiração, como tecidos de algodão, tricoline e TNT. Além disso, é aconselhável que as produções caseiras tenham duas camadas do material usado e que tenham tamanho suficiente para cobrir o nariz e se estender até abaixo do queixo. Esse modelo é reutilizável, basta lavá-la após o uso. A ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) dispõe de material explicativo no site que orienta a fabricação caseira de máscara de tecido.

Obrigatoriedade de uso: Como forma de conter o avanço das infecções por covid-19 foram estabelecidos decretos que tornam obrigatório o uso de máscara de proteção facial em transporte público em São Paulo. No estado, a medida começou a valer no dia 4 de maio para passageiros do Metrô, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), de ônibus intermunicipais administrados pelo governo estadual e carros de aplicativos, como Uber, 99 e Cabify e táxis. Na capital paulista a determinação começou em 3 de maio e se estende a motoristas, cobradores, trabalhadores de terminais e passageiros. Vale destacar que a utilização de máscaras só se torna eficaz se o acessório for manuseado adequadamente e se a pessoa que utiliza combinar a ação com a higienização regular das mãos.

Fonte: Assessoria de Imprensa IBCC Oncologia

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive