Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Boehringer Eisai Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Como os Marcadores Tumorais são usados?

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 30/08/2013 - Data de atualização: 30/08/2013


  • Classificação e Detecção Precoce

Um marcador tumoral perfeito seria aquele que pudesse ser usado no rastreamento do câncer no sangue em qualquer pessoa. Ele só seria encontrado em pessoas com câncer. Entretanto, no momento não existe esse tipo de marcador tumoral.

Atualmente, o marcador tumoral mais utilizado é o antígeno prostático específico (PSA), que é usado para detectar a presença do câncer de próstata. Homens com câncer de próstata geralmente têm níveis elevados de PSA. Mas, em alguns casos o resultado com níveis altos de PSA pode ser visto em homens sem câncer, e um PSA normal em homens com câncer de próstata. O PSA não é um marcador tumoral perfeito. Tanto que, nem todos os médicos concordam que seja ideal para usá-lo em todos os homens.

No momento, nenhum marcador tumoral é utilizado para a detecção de câncer na população em geral. Alguns dos marcadores utilizados no momento podem ajudar a diagnosticar a doença em fase inicial, mas eles só são realizados em pessoas que fazem parte do grupo de risco para certos tipos de câncer.

  • Diagnóstico

Normalmente, os marcadores tumorais não são utilizados no diagnóstico do câncer. Na maioria dos casos, o câncer só pode ser diagnosticado por meio de uma biópsia. Mesmo assim, os marcadores tumorais ajudam em casos de suspeita de câncer. Os marcadores tumorais podem ajudar a determinar o local de origem se um tumor já está disseminado.

Por exemplo, se uma mulher tem uma suspeita de câncer na região da pelve e abdome, um resultado elevado do marcador tumoral CA 125 poderá sugerir um câncer de ovário, mesmo se após a cirurgia não ficar claro que a doença se iniciou nesse órgão. Isto é importante, pois o tratamento pode ter como objetivo o câncer de ovário.

A alfafetoproteína (AFP) é outro exemplo de marcador tumoral que pode ser utilizado para ajudar no diagnóstico do câncer. O nível de AFP pode aumentar com algumas doenças do fígado, mas acima de um determinado nível pode se ter certeza de que se trata de câncer de fígado, embora a biópsia ainda seja necessária para confirmação do diagnóstico.

  • Câncer Avançado

Muitos marcadores tumorais são úteis no seguimento de pacientes com cânceres avançados. Os cânceres avançados são mais difíceis de tratar e muitas vezes têm um pior prognóstico. Em muitos casos, os níveis de marcadores tumorais podem ser utilizados para avaliação da resposta terapêutica.

  • Determinar o Prognóstico

Alguns tipos de câncer crescem e se espalham mais rapidamente do que outros. Mas, mesmo dentro de um tipo de câncer, por exemplo, o de testículo, alguns crescem e se disseminam mais rapidamente, ou podem ser mais ou menos sensíveis a certos tratamentos. Às vezes, o nível de um marcador tumoral pode ajudar a prever o comportamento e o prognóstico para certos tipos de câncer. No câncer de testículo, níveis muito elevados do marcador tumoral gonadotrofina coriônica humana (HCG) ou AFP são um sinal de um câncer mais agressivo e com pior prognóstico.

  • Verificar a Eficácia do Tratamento

Certos marcadores tumorais encontrados nas células cancerígenas podem ser usados para ajudar a prever a eficácia de determinados tratamentos. Por exemplo, nos tumores de mama e de estômago, se as células cancerígenas têm uma grande quantidade da proteína HER2, medicamentos, como o trastuzumab podem ser úteis no tratamento. Se as quantidades de HER2 forem normais, esses medicamentos não fazem diferença.

  • Avaliar a Resposta ao Tratamento

Um dos usos mais importantes dos marcadores tumorais é acompanhar a resposta ao tratamento de pacientes que estão sendo tratados contra o câncer, especialmente em casos de câncer avançado. Se existe um marcador tumoral disponível para um determinado tipo de câncer, seu nível deve ser verificado para avaliar a eficácia do tratamento, assim outros exames, como raios X, tomografia computorizada ou cintilografia óssea poderão não ser realizados naquele momento em específico.

Se os níveis do marcador tumoral no sangue diminuírem, é quase sempre um sinal de que o tratamento está dando certo. Por outro lado, se o nível do marcador aumentar, significa que a doença não está respondendo ao tratamento.

  • Casos de Recidiva

Os marcadores tumorais também são usados na detecção de recidivas após o tratamento. Alguns marcadores tumorais podem ser úteis quando o tratamento é realizado e não existe nenhum sinal de doença no corpo.

Por exemplo, pacientes tratados de câncer colorretal, muitas vezes fazem acompanhamento com o marcador tumoral CEA. Este marcador é frequentemente observado antes de iniciar qualquer tratamento. Se o resultado mostrar um nível elevado de CEA, ele será pesquisado novamente durante e após o tratamento. O nível do CEA deve começar a diminuir durante o tratamento, até atingir um nível normal após o mesmo, quando passa a ser solicitado periodicamente como parte do acompanhamento e reestadiamento. Se voltar a subir novamente, pode ser um sinal de que a doença voltou, mesmo que o paciente não apresente sintomas. Muitas vezes, quando o nível do CEA de um paciente sobe, seu médico solicitará exames de imagem para verificar se um novo tumor pode ser diagnosticado precocemente.

  • Quando os Marcadores Tumorais são Solicitados?

Os marcadores tumorais podem ser solicitados no momento do diagnóstico, antes, durante e após o tratamento, e posteriormente, de forma regular durante alguns anos, para detectar qualquer recidiva. Durante o tratamento, as alterações nos níveis dos marcadores tumorais podem ser um sinal ou não de resposta ao tratamento.

Os níveis dos marcadores tumorais podem mudar ao longo do tempo. As mudanças são importantes, por isso os resultados de uma série de exames muitas vezes significa mais do que um único resultado. Se possível, é sempre melhor comparar os resultados dos exames realizados num mesmo laboratório, para ter a certeza de que os resultados são do mesmo valor, como ng/ml ou U/mL.


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2018 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive