Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Boehringer Bayer Janssen MSD Takeda Astellas UICC Libbs Abbvie Ipsen Sanofi Daiichi Sankyo GSK Avon Nestlé Servier Viatris


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Como evitar mais mortes por câncer

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 26/09/2022 - Data de atualização: 26/09/2022


No início de setembro, a Revista “The Lancet” publicou “o maior e mais robusto estudo que relacionou o câncer e os fatores de risco”. No artigo “A carga global do câncer atribuível a fatores de risco, 2010-19: uma análise sistemática para o Global Burden of Disease Study 2019”, os autores pretendem entender o impacto da carga da doença atribuível a fatores comportamentais, ambientais, ocupacionais e metabólicos potencialmente modificáveis.

A proposta é criar estratégias que sejam mais eficazes na prevenção e na mitigação dos casos, que crescem principalmente em nações mais pobres. 

Interessante observar que os principais fatores de risco para ambos os sexos foram o tabagismo, seguido pelo uso de álcool e alto índice de massa corporal (IMC). No entanto, especialmente em locais de baixo IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), o sexo desprotegido também foi considerado, como agente de perigo de transmissão para o HPV, por exemplo, ligado a casos de tumores de colo de útero, ânus, vulva, vagina, pênis e orofaringe.

Esta revisão, que englobou dados da década de 2010, revelou que os fatores preveníveis poderiam ter evitado 4,5 milhões de mortes por câncer em 2019 no mundo, ou 44% de todos os óbitos pela doença naquele ano.

Segundo os pesquisadores, “os principais fatores de risco que contribuíram para a carga global de câncer em 2019 foram comportamentais, enquanto os fatores de risco metabólicos tiveram os maiores aumentos entre 2010 e 2019”. 

Há muito tempo diversos estudos apontam que os hábitos saudáveis têm impacto positivo sobre o diagnóstico e o prognóstico do câncer. Este estudo robusto reforça que a redução da “exposição aos fatores de risco modificáveis ​​diminuiria a mortalidade por câncer e as taxas de anos de vida perdidos em todo o mundo”. Da mesma forma, recomenda que as políticas sejam “adaptadas adequadamente de acordo com as características daquele país ou região”.

Falamos, hoje, sobre a personalização dos tratamentos oncológicos. Precisamos, também, olhar com mais atenção para nossa população, entender as demandas regionais de prevenção, rastreamento, diagnóstico e tratamento, para pensar em políticas públicas mais efetivas para a Oncologia em nosso país.

Fonte: Forbes



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive