Tipos de Câncer

Câncer de Mama em Homens

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Astellas UICC Libbs GBT Abbvie Ipsen Sanofi Grunenthal Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Classificação do Câncer de Mama em Homens

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 17/05/2013 - Data de atualização: 26/06/2019


O câncer de mama é classificado de diferentes maneiras, com base nos resultados dos exames laboratoriais após biópsia ou cirurgia. As amostras de tecido mamário retiradas durante uma biópsia são enviadas para análise em um laboratório de patologia. O objetivo do exame anatomopatológico é a obtenção do diagnóstico, por meio da análise das alterações teciduais presentes nas amostras retiradas na biópsia ou na cirurgia.

Na maioria das vezes, esse diagnóstico é definitivo, entretanto, em algumas situações, não é possível um diagnóstico conclusivo. As causas mais comuns são a falta de representatividade do material, por exemplo, quando a biópsia retira tecido das imediações e não da lesão principal, os aspectos morfológicos podem excluir alguns diagnósticos, mas não concluir, tornando-se fundamental a correlação clínica com os exames de imagem para fechar o diagnóstico.

Grau do câncer de mama

O patologista atribui um grau histológico para o tumor, baseado nas características individuais das células e sua disposição em relação às demais. O grau ajuda a prever o prognóstico do paciente. Em geral, um número mais baixo indica um tumor de crescimento mais lento, enquanto que um número mais alto indica um tumor de crescimento mais rápido e mais susceptível de se disseminar:

  • Grau 1 (Bem diferenciado). As células são de crescimento mais lento e se parecem mais com o tecido mamário normal.
  • Grau 2 (Moderadamente diferenciado). As células tem características entre os graus 1 e 3.
  • Grau 3 (Pouco diferenciado). As células cancerígenas parecem muito diferentes das células normais e provavelmente se desenvolverão e se disseminarão mais rapidamente.

Testes para classificar o câncer de mama em homens

Os principais testes realizados nas amostras de biópsia pelo patologista são:

        Receptores hormonais (Estrogênio e progesterona)

Os receptores são proteínas celulares que podem se ligar a certas substâncias, como os hormônios, que circulam no sangue. As células normais da mama e algumas células do câncer de mama têm receptores que se ligam ao estrogênio e a progesterona. Estes dois hormônios muitas vezes estimulam o crescimento das células cancerígenas.

As células cancerígenas da mama podem conter um, ambos ou nenhum desses receptores:

  • Cânceres de mama receptores de estrogênio (ER-positivos ou ER+).
  • Cânceres de mama receptores de progesterona (PR-positivos ou PR+).

        HER2/neu

Em um pequeno número de cânceres de mama em homens, as células têm uma grande quantidade de uma proteína promotora de crescimento denominada HER2/neu (HER2). Os tumores com níveis aumentados de HER2/neu são referidos como HER2-positivos. As células podem se tornar câncer de mama HER2-positivo por terem muitas cópias do gene HER2/neu (conhecido como amplificação de genes). As células cancerígenas com quantidades superiores do normal da proteína HER2/neu tendem a crescer e se disseminar mais agressivamente do que outros cânceres de mama.

Todos os cânceres recém diagnosticados de mama devem ser testados para HER2/neu porque o prognóstico para HER2-positivo é melhor quando o tratamento é realizado com medicamentos específicos contra a proteína HER2/neu, como o trastuzumab e o lapatinib.

Na amostra da biópsia ou cirurgia são realizados os seguintes testes:

  • Imunohistoquímico. Nesse exame os anticorpos que identificam a proteína HER2/neu são aplicados na amostra, fazendo com que as células mudem de cor se muitas cópias dessa proteína estão presentes. Os resultados deste exame são apresentados como 0, 1+, 2+, ou 3+.
     
  • FISH. A hibridização fluorescente in situ (FISH) utiliza peças fluorescentes de DNA que especificamente se aderem às cópias do gene HER2/neu nas células, podendo então ser contabilizadas sob um microscópio especial.

Classificação com base nos receptores hormonais e status HER2

Os médicos muitas vezes dividem o câncer de mama invasivo com base na presença dos receptores hormonais (ER e PR) e se o câncer tem ou não HER2.

Receptor de hormônio-positivo. Se as células cancerígenas da mama contêm receptores de estrogênio ou progesterona, podem ser denominados receptor de hormônio positivo (ou apenas hormônio-positivo). Os cânceres de mama em homens receptores de hormônio positivo podem ser tratados com hormonioterapia que reduzem os níveis de estrogênio, bloqueiam os receptores de estrogênio ou afetam os níveis de andrógeno (hormônio masculino). Isso inclui os cânceres ER-negativo e PR-positivo. Os cânceres positivos para os receptores hormonais tendem a crescer mais lentamente do que os receptores hormonais negativos (e não têm nem receptores de estrogênio nem de progesterona). Cerca de 90% dos cânceres de mama em homens são receptores de hormonais positivos.

Receptor de hormônio-negativo. Se as células cancerígenas da mama não têm receptores de estrogênio ou progesterona, são considerados receptores de hormônio negativos. O tratamento com hormonioterapia não é útil para estes cânceres. Estes tumores tendem a crescer mais rapidamente do que os cânceres positivos para os receptores hormonais. Se eles recidivam após o tratamento, isso ocorre mais frequentemente nos primeiros anos.

HER2-positivo. Os cânceres que têm muita proteína ou gene HER2 são denominados HER2 positivos. Estes tumores podem ser tratados com medicamentos que têm como alvo o HER2.

HER2-negativo. Os tumores que não têm excesso de HER2 são chamados HER2 negativos. Esses não respondem ao tratamento com medicamentos que têm como alvo o HER2.

Triplo-negativo. Se as células cancerígenas da mama não têm receptores de estrogênio ou progesterona e não têm HER2, são denominadas triplo negativo. Esses tendem a crescer e se disseminar mais rapidamente do que a maioria dos outros tipos de câncer de mama. Como as células tumorais não possuem receptores hormonais, a hormonioterapia não é útil no tratamento desses tumores. Como não têm muito HER2, a terapia alvo como com medicamentos específicos para HER2 tampouco é útil. No entanto, a quimioterapia convencional ainda pode ser utilizada.

Triplo-positivo. Esse termo é usado para descrever tumores que são ER-positivos, PR-positivos e que têm muito HER2. Esses tumores podem ser tratados com medicamentos hormonais, bem como com aqueles que tem como alvo o HER2.

Outros testes de laboratório

        Teste de ploidia e taxa de proliferação celular

Esses testes podem ser realizados para prever a agressividade do tumor. A ploidia das células cancerígenas se refere à quantidade de DNA presente.

  • Se houver uma quantidade normal de DNA nas células, elas são diploides. Esses cânceres tendem a crescer e se disseminar mais lentamente.
  • Se a quantidade for anormal, as células são descritas como aneuploides. Esses cânceres tendem a serem mais agressivos e crescem e se disseminam mais rapidamente.

Os testes de ploidia ajudam a determinar o prognóstico, mas raramente mudam o tipo de tratamento e são considerados como testes opcionais. Eles geralmente não são indicados como parte da rotina de tratamento do câncer de mama.

Proliferação celular. É a rapidez com que uma célula cancerígena copia seu DNA e se divide em duas células. Se as células cancerígenas estão se dividindo mais rapidamente, isso significa que o tumor está crescendo mais rapidamente ou é mais agressivo. O DNA é copiado quando a célula está se preparando para se dividir em duas novas células. A fração da fase S é a porcentagem de células em uma amostra que copia seu DNA. A taxa de divisão de células cancerígenas também pode ser estimada por um teste de Ki-67. Se a fração da fase S ou o teste do Ki-67 for alto, isso significa que as células cancerígenas estão se dividindo mais rapidamente, o que pode indicar um tumor mais agressivo.

Análise padrão dos genes

Os pesquisadores descobriram que avaliar os padrões de determinados genes específicos, ao mesmo tempo pode ajudar a prever (ou não) se um tumor de mama em estágio inicial tem probabilidade de recidivar. Isso pode ajudar no momento de decidir se devem ser utilizados tratamentos adicionais, como a quimioterapia após a cirurgia. Dois desses testes (Oncotype DX e MammaPrint) olham para diferentes conjuntos de genes.

Mais informações são necessárias para decidir a eficácia desses testes para o câncer de mama em homens. No entanto, já existem dados suficientes de que este teste pode ajudar os homens com câncer de mama em estágio inicial para tomar decisões sobre a quimioterapia após a cirurgia. Converse com seu médico se esses testes podem ser adequado para o seu caso.

Fonte: American Cancer Society (27/04/2018)



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive