Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Ciência e inovação no combate ao câncer

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 29/05/2018 - Data de atualização: 29/05/2018


Referência internacional em diagnóstico, tratamento, ensino e pesquisa do câncer, o A.C.Camargo Cancer Center reuniu em São Paulo, do dia 10 a 12 de maio, mais de 200 especialistas de instituições nacionais e internacionais para a terceira edição do Next Frontiers to Cure Cancer. O congresso teve como objetivo discutir as novas fronteiras no combate à doença, como práticas inovadoras para o tratamento, e contou com cerca de 1 700 participantes, entre cirurgiões, oncologistas, patologistas, radioterapeutas, radiologistas, profissionais de reabilitação, cientistas, pacientes e o terceiro setor.

O evento recebeu especialistas que são referência nos temas para debater novos conhecimentos em tumores cutâneos, da base do crânio, pediátricos, pulmonares e de cabeça e pescoço, além de inovações e tecnologias, onco-hematologia, oncogenética e imunoterapia. A ciência básica e translacional permeou todas as atividades do congresso.

O especialista e pesquisador Giorgio Trinchieri, do National Cancer Institute, foi um dos destaques. Ele discutiu como o grau de inflamação, a presença da microbiota e o tipo de resposta imune do organismo são responsáveis pela oscilação do equilíbrio entre a progressão ou a regressão de um tumor. Esses componentes têm ainda um papel fundamental na resposta à terapia oferecida a esses pacientes.

Na área de tumores cutâneos, a novidade foi a mudança do tratamento dos melanomas (tumor de pele muito agressivo) com as drogas de imunoterapia e as terapias-alvo, mesma mudança observada na abordagem dos tumores de pulmão. Em cirurgia de cabeça e pescoço, um dos principais pontos discutidos foi a multidisciplinaridade do tratamento, com envolvimento de diversos profissionais de saúde junto com o médico. Outro assunto importante foi a exploração do DNA tumoral circulante e da célula tumoral circulante como biomarcadores para aprimorar o diagnóstico de câncer pela saliva e pelo plasma dos pacientes.

Para Vilma Martins, superintendente de pesquisa do A.C.Camargo, mais que discutir a inovação para melhores práticas de tratamento ao câncer, o congresso contribuiu para conectar as áreas de pesquisa clínica e básica a grandes nomes mundiais da pesquisa do câncer. "Quanto mais dinâmica for essa conexão, mais rapidamente conseguiremos trazer respostas para os desafios da oncologia”, conclui.

Fonte: Veja

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive