Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia Sanofi Grunenthal Sirtex Servier Oncologia


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Câncer hereditário: quando suspeitar

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 01/09/2020 - Data de atualização: 01/09/2020


Estima-se que a cada ano de 2020 a 2022, 625 mil brasileiros recebam o diagnóstico de câncer. Segundo o Instituto Nacional do Câncer, o Inca, depois do câncer de pele não melanoma, os mais frequentes serão o de mama e o de próstata.

Mulheres a partir de 40 anos, devem cuidar e fazer exames de rastreio. Pessoas que já tiveram muitos casos da doença na família, e tem suspeita risco de câncer hereditário, podem começar ter maiores cuidados e fazer exames de rastreio, antes mesmo dos 40 anos. Mas todo câncer é hereditário?

De acordo com a médica oncologista Ana Carolina Salles, do Grupo Oncoclínicas, não. Ela explica que isso pode acontecer, mas é mais incomum. “Acredita-se que apenas 10% dos casos de câncer sejam hereditários, ou seja resultado de uma alteração no DNA herdada da mãe ou do pai. Faz-se importante ressaltar, que mesmo quando há uma alteração genética herdada que aumente o risco de câncer, a doença nem sempre acontecerá. Os hábitos de vida podem ajudar a proteger ou tornarem-se gatilhos para a doença.

Mas então, quando suspeitar de aumento de risco de câncer hereditário ? Conforme a especialista há algumas situações: “quando há muitos casos em parentes de primeiro grau; quando pacientes jovens recebem o diagnóstico de câncer, ou em situações atípicas, como câncer de mama em homens”, ressalta.

Segundo ela, há uma série de outros fatores que podem levar a suspeita de câncer hereditário e estimular o encaminhamento desses pacientes para o geneticista, para realização do exame que detecta a presença de alterações no DNA, que são compatíveis com câncer hereditário.

Há exames que podem ajudar a prevenir ou mesmo evitar esses casos de câncer hereditário?

Dra Ana Carolina aponta que é importante esclarecer que pelo fato da pessoa ser portadora de uma alteração no DNA, que leve ao aumento do risco de câncer hereditário, não quer dizer que o paciente terá câncer. Bons hábitos de vida, realização de exames de rastreio apropriados e em algumas situações, é discutível a possibilidade de cirurgias redutoras podem ser fatores protetores contra o câncer.

Angelina Jolie fez cirurgia redutora de risco, ao descobrir que possuía uma mutação no gene BRCA1, com risco aumentado para câncer de mama e ovário. “Cada caso deve ser individualizado”, destaca.

“Após o diagnóstico de um ‘câncer hereditário’, com alteração genética conhecida, faz-se importante que o paciente passe em consulta com o geneticista, para aconselhamento genético e para que as orientações em relação aos familiares sejam dadas”, explica a médica oncologista. Ela continua: “muitas vezes, faz-se necessário ofertar o painel genético aos familiares”.

“Embora o câncer hereditário não seja a situação mais comum entre os pacientes diagnosticados com câncer, devemos estar atentos, enquanto oncologistas e geneticistas, a essa possibilidade”, alerta. “Enquanto oncologistas, nós temos sempre que estar atentos ao histórico de câncer na família, de nossos pacientes. Isso ajuda a levantar a suspeita de risco de câncer hereditário”, conclui Dra Ana Carolina.

Fonte: Jornal de Brasília

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive