Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Câncer em jovens e crianças é mais agressivo, mas taxa de cura é maior

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 18/10/2018 - Data de atualização: 18/10/2018


Michael Bublé com os filhos Noah (5), Elias (2) e a esposa; Noah teve câncer aos 3 Reprodução/Instagram

O cantor Michael Bublé anunciou recentemente a aposentadoria de sua carreira para estar mais presente na vida de seu filho Noah, 5, que foi diagnosticado com câncer de fígado aos três anos. Após cirurgia e quiomioterapia, o tumor foi eliminado, mas ele mantém acompanhamento médico.

Saiba mais sobre câncer de fígado

No Brasil, o câncer infantil representa 3% do total, o que equivale a 12 mil casos novos por ano, segundo o Inca (Instituto Nacional do Câncer).

A prevalência é de 16 para cada 100 mil crianças, entre 1 e 19 anos. 

Como a mortalidade infantil por doenças infectocontagiosas caiu no Brasil nas últimas décadas, o câncer se tornou a principal causa de morte de crianças no país.

Os tipos de câncer mais frequentes nessa faixa etária são a leucemia, os linfomas (tumores dos glânglios linfáticos) e o tumor cerebral.

Saiba mais sobre tumor cerebral.

A oncologista Cecília Costa, chefe do departamento de Oncologia Pediátrica do A.C.Camargo Cancer Center, explica que, embora o câncer em crianças evolua de forma mais rápida que no adulto, a taxa de cura é maior, de 70% a 80%. "Elas respondem melhor à quimioterapia", diz.

A leucemia, que corresponde à maioria dos casos, se manifesta geralmente entre os 2 e 4 anos ou na adolescência, segundo a médica.

Diferentemente do câncer em adulto, que pode originado por fatores hereditários ou externos, o câncer infantil ainda não teve sua causa identificada, segundo a oncologista.

Cecília explica que o câncer infantil ocorre por uma série de alterações nas células embrionárias, no processo de formação da criança durante a gestação. Algumas dessas células não amadurecem, mantendo as mesmas características da célula do embrião, com rápida multiplicação.

A médica afirma que não é possível prevenir câncer em crianças, mas ressalta que o diagnóstico precoce é o diferencial para uma boa taxa de cura. 

"Para identificar o câncer em crianças, o acompanhamento pediátrico é imprescindível, pois o profissional acompanhará a evolução da criança e de sua saúde, além de conhecer como a criança funciona", afirma a oncologista.

Segundo ela, alguns dos sinais que o câncer infantil podem apresentar são anemia, sonolência, indisposição, sangramentos, manchas, febres sem infecção e aumento do fígado ou do baço, podendo ter nódulos ou não.

A oncologista afirma que, mesmo que a criança cure o câncer, isso não garante que ela estará livre da doença na fase adulta. "Pelo contrário. A pessoa que passou por um câncer tem maior chance de reincidência do mesmo ou de outro tipo de câncer do que a população em geral", afirma.

A médica afirma que a pessoa que passou por um câncer na infância deverá manter acompanhamento médico ao longo da vida para avaliar o risco de volta da doença.

Fonte: R7

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2018 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive