Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Câncer de Roberto Leal era raro e difícil de ser diagnosticado

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 16/09/2019 - Data de atualização: 16/09/2019


Quando localizado nos olhos, câncer de pele é mais difícil de ser detectado Reprodução/Facebook Roberto Leal


Na madrugada deste domingo (15), o cantor português Roberto Leal faleceu de insuficiência renal em decorrência de complicações relacionadas ao tratamento para o câncer no olho que já enfrentava há dois anos.

No ambulatório de melanoma do Hospital das Clínicas em São Paulo, o médico responsável pelo departamento Caio Lamunier conta que recebe apenas um caso por ano de melanoma ocular, nome científico dado ao tipo de câncer que acometeu Roberto Leal. Melanoma é como se chama câncer de pele, que pode se originar em qualquer lugar do corpo, inclusive no olho, como foi o caso do cantor.

"A principal causa é genética, mas a abaixa imunidade e exposiação solar excessiva também contribuem", explica Lamunier. "Geralmente nos previnimos do câncer de pele com protetor solar e chapéus. Mas esquecemos que os olhos também sofrem com a exposição solar. Daí a importância dos óculos de sol


Uma doença silenciosa

"O problema do melanoma é que geralmente é assintomático, o que dificulta o diagnóstico precoce", explica Caio Lamunier, Especialista em melanoma pelo Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP). "Na pele, o câncer geralmente aparece no formato de pintas assimétricas, de bordas irregulares e rápida evolução. O problema é que quando está localizado nos olhos, só poderá ser visto com um exame de fundo de olho feio pelo oftalmologista."

Diagnóstico precoce é crucial para cura

Segundo o profissonal especialista, é justamente o caráter silencioso da doença que atrasa seu diagnóstico. Quando o melanoma ocular já está mais avançado é que o paciente percebe sintomas como perda de campo visual e movimento dos olhos diferentes entre si. "O melanoma diagnosticado precocemente tem mais de 90% de cura. Quando se espalha na forma de metástase, a sobrevida do paciente gira em torno de cinco anos."

No caso do melanoma ocular, o tratamento geralmente é cirúrgico. Casos mais avançados podem ser tratados com quimioterapia, imunoterapia, radioterapia e terapia alvo. No entanto, o diagnóstico precoce é fundamental para o sucesso do tratamento: "A progressão desse tipo de câncer é considerada rápida. Em três meses pode evoluir para uma metástase", explica Lamunier. 

Fonte: R7

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive