Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Câncer de rim atinge 2 vezes mais sexo masculino

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 18/07/2018 - Data de atualização: 18/07/2018


Junho é o mês de conscientização do câncer de rim, um dos 10 tipos mais comuns entre homens e mulheres. E dados da American Cancer Society revelam que a doença é duas vezes mais frequente em homens do que em mulheres.

Como o tema ainda é pouco discutido, o Instituto Oncoguia realiza um evento, amanhã (21), para tratar dos desafios e avanços na área: o simpósio "A Jornada do Paciente com Câncer de Rim”, que acontece em São Paulo, no Dia Mundial de Combate ao Câncer de Rim, e reunirá pacientes e especialistas.

De acordo com a pesquisa da entidade norte-americana, os homens são mais propensos a serem fumantes e têm maior probabilidade de exposição a produtos químicos cancerígenos no trabalho, o que pode explicar parte da diferença aferida no estudo. Entre outros fatores que também podem ser considerados de risco, para os dois sexos, estão obesidade, histórico familiar, idade (média de diagnóstico é de 64 anos) e doença renal avançada, especialmente aquelas que necessitam de diálise. A hipertensão também é um importante fator de risco.

Alguns dos sintomas são dor lombar de um lado, presença de um caroço na lateral ou na parte inferior das costas, fadiga, perda de apetite, perda de peso, febre e anemia. Tais sintomas são frequentemente desconsiderados ou podem ser atribuídos a outros problemas de saúde, o que dificulta o diagnóstico. O importante é consultar um médico para que a causa possa ser avaliada, diagnosticada e tratada.

"Vamos discutir questões fundamentais, das dificuldades para um diagnóstico precoce e novidades de tratamento até caminhos para ampliar a conscientização sobre esse tipo de câncer, e de que forma se pode atuar para superar barreiras de acesso a novos e velhos tratamentos, seja no SUS ou nos planos de saúde”, destaca Luciana Holtz, presidente do Instituto Oncoguia.

Matéria publicada pelo DCI em 20/06/2018

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive