Tipos de Câncer

Câncer de Estômago

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Biópsia para Diagnóstico do Câncer de Estômago

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 24/05/2014 - Data de atualização: 30/08/2017


Quando uma área suspeita é encontrada durante a endoscopia ou em um exame de imagem, a única maneira de saber com certeza se realmente é um câncer é realizando uma biópsia. Durante a biópsia, o médico coleta uma amostra da área anormal, que é enviada ao laboratório de patologia para análise.

As biópsias do câncer de estômago são frequentemente realizadas durante uma endoscopia digestiva alta. Se o médico visualiza áreas anormais no revestimento do estômago durante o procedimento, são inseridos instrumentos para biopsiar essas áreas.

Alguns tipos de câncer de estômago estão localizados mais profundamente na parede do estômago, dificultando a biópsia por endoscopia. Se o médico suspeita que o tumor possa estar numa região mais profunda da parede do estômago, é utilizado o ultrassom endoscópico para guiar a agulha de biópsia até a parede do estômago, e coletar uma amostra do tecido.

As amostras de tecido para biópsia também podem ser retiradas de possíveis áreas de disseminação da doença, como linfonodos próximos ou áreas suspeitas em outras partes do corpo.

Análise das Amostras

A análise da amostra retirada durante a biópsia visa confirmar (ou não) a presença do câncer, em caso positivo, determinar o tipo, por exemplo, se é adenocarcinoma, tumor carcinoide, tumor estromal gastrointestinal ou linfoma.

Se confirmar adenocarcinoma, a análise continua para verificar se a proteína HER2/neu está presente. O gene HER2/neu instrui as células a produzirem esta proteína. Os tumores com níveis aumentados de HER2/neu são chamados HER2 positivos.

Os cânceres de estômago que são HER2-positivos podem ser tratados com um medicamento que tem como alvo a proteína HER2/neu, o trastuzumabe.

A amostra de biópsia pode ser avaliada de duas maneiras diferentes:

  • Imunohistoquímica. Neste exame, anticorpos especiais que identificam a proteína HER2/neu são aplicados na amostra, fazendo com que as células mudem de cor, se muitas cópias dessa proteína estiverem presentes. Essa mudança de cor pode ser visualizada ao microscópio. Os resultados deste exame são apresentados como 0, 1+, 2+, ou 3+.

  • Hibridização Fluorescente In Situ (FISH). Este exame utiliza peças fluorescentes de DNA que especificamente se aderem às cópias do gene HER2/neu nas células, podendo então ser contabilizadas sob um microscópio especial.

Geralmente, o exame imunohistoquímico é realizado primeiro:

  • Se os resultados forem 0 ou 1 +, o câncer é HER2 negativo. Pacientes com tumores HER2 negativo não são tratados com medicamentos que têm como alvo HER2.
  • Se o resultado for 3+, o câncer é HER2 positivo. Os pacientes com tumores HER2 positivos podem ser tratados com medicamentos como o trastuzumabe. 
  • Quando o resultado é 2+, o estado de HER2 do tumor não está claro. Diante desse resultado, o tumor deverá ser avaliado com o método FISH.

Fonte: American Cancer Society (10/02/2016)


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive