Tratamentos

Oncologia de Precisão (Medicina Personalizada)


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Biomarcadores de Câncer que podem Reformular o Tratamento do Câncer com a Oncologia de Precisão

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 27/02/2015 - Data de atualização: 27/02/2015


Um dia os biomarcadores poderão ser a parte mais importante no diagnóstico do câncer do que o tipo de câncer que você tem. Em vez de dizer, "Eu tenho câncer de mama", uma paciente poderá dizer, "Eu tenho um carcinoma HER2+ com uma mutação KRAS." No futuro, até medidas preventivas de rastreamento vão ter mais a ver com os biomarcadores do que as partes do próprio corpo.

Para saber mais sobre as dezenas de biomarcadores usados para orientar o tratamento de câncer, consulte a tabela abaixo. É importante notar que existem milhares de biomarcadores sem eficácia conhecida ou relevância para o tratamento do câncer. Esta tabela mostra apenas os biomarcadores que atualmente são conhecidos e com significância para o tratamento do câncer.

Biomarcador

Características

Cânceres que podem se beneficiar com o teste

Tratamentos associados com a resposta ou a falta de resposta/resistência*

ALK

Quinase do linfoma anaplásico, uma enzima que pode formar um gene de fusão oncogênica com EML4

Pulmão (não linfoma (anaplásico de grandes células), Sistema nervoso (neuroblastoma familiar)

Crizotinibe, pemetrexed

AR

Receptor androgênico, parte da superfamília do receptor nuclear do hormônio, ativa na sinalização celular e, portanto, a multiplicação celular e seu crescimento

Próstata, mama, ovário, bexiga, pulmão (não pequenas células)

Bicalutamida, flutamida, goserelina, leuprolida, abarelix, gonadorelina

BRAF

Também conhecido como homólogo B1 do oncogene viral de sarcoma murino v- raf, um proto-oncogene da família RAF/MIL família de moléculas ativas no MAP/ERK de sinalização celular, promove o crescimento e multiplicação celular

Cólon, melanoma, pulmão (adenocarcinoma), tireoide (carcinoma papilar de tireoide), sistema nervoso (xantoastrocitoma pleomórfico com e sem anaplasia

Cetuximabe, panitumumabe, vemurafenibe

BRCA1

Chamado "gene do câncer de mama", sua expressão em muitos tipos de câncer pode indicar uma resposta potencial para certos tipos de terapias

Pulmão, ovário

Cisplatina

c-Kit

Receptor de citocina também conhecido como CD117, um proto-oncogene que interage com fatores de crescimento celular, joga um papel na sobrevivência celular, multiplicação e diferenciação

GIST (tumor estromal gastrointestinal), melanoma, sangue (leucemia mieloide aguda)

Imatinibe, sorafenibe, sunitinibe

c-MET

Também conhecido como MET (fator de transição epitelial mesenquimal) ou HGFR (receptor do fator de crescimento de hepatócito), um proto-oncogene ativo na sinalização celular, promove a multiplicação e o crescimento de células cancerígenas

Pulmão (não pequenas células), ovário

Erlotinibe, gefitinibe

COX-2

Ciclooxigenase-2, também conhecido como protaglandina endoperôxido sintetase 2 (PTGS2), uma enzima importante na formação de prostaglandinas, mensageiros moleculares que desempenham um papel em vários  tipos de câncer

Pulmão (não pequenas células)

Celecoxibe

EGFR

Receptor do fator de crescimento epidérmico, também conhecido como ErbB-1 ou HER1, um receptor tirosina quinase ativo na sinalização celular, promove a multiplicação e crescimento celular

Pulmão (não pequenas células

Cetuximabe, erlotinibe, gefitinibe, panitumumabe

EGFR mutação secundária (T790 M)

Mutação do gene EGFR associado com resistência adquirida para certos tratamentos

Pulmão (não pequenas células), colorretal, cabeça e pescoço

Resistência a erlotinibe, gefitinibe

ER

Receptor de estrogênio parte da família de receptores intracelulares, ativo na multiplicação celular

Mama, ovário, cânceres do trato genital feminino

Anastrazol, exemestano, letrozol, tamoxifeno, acetato de megestrol, fulvestranto, toremifeno, medroxiprogesterona, goserelina, leuprolida

ERCC1

Reparo por excisão com complementação cruzada de grupo 1, uma enzima ativa no reparo de DNA e, portanto, um sinal de resistência aos tratamentos que funcionam alterando o DNA do tumor

Pulmão (não pequenas células), estômago, ovário, colorretal, bexiga

Resistência a cisplatina, carboplatina, oxaliplatina

HER2

Receptor do fator de crescimento epidérmico humano 2, também conhecido como HER2/neu ou ErbB-2, um receptor tirosina quinase ativo na sinalização celular, promove a multiplicação e crescimento celular

Mama, gastroesofágico, estômago, ovário, colorretal

Lapatinibe, trastuzumabe, doxorubicina, doxoribicina liposomal, epirubicina

KRAS

(Proto-oncogene viral sarcoma 2 rat Kirsten ativo na  sinalização celular na via EGFR, promove a multiplicação e crescimento celular

Pulmão (não pequenas célula), cólon, pâncreas

Cetuximabe, erlotinibe, gefitinibe, panitumumabe

MGMT

O-6-metilguanina DNA metiltransferase é um gene que codifica uma enzima de reparo do DNA, a perda de MGMT pode desempenhar um papel na formação de câncer, MGMT pode também interferir com tratamentos que funcionam por alterar o DNA do tumor

Mama, pulmão (não pequenas células), esôfago, cérebro (glioblastoma multiforme, oligodendrogliomas), pele (melanoma), carcinoma de glândula pituitária

Falta de resposta a temozolomida

MRP1

Proteína 1 de resistência a múltiplas drogas, bomba de efluxo transmembrana ATP dependente associada com a resistência a muitos medicamentos

Mama, linfoma, cabeça e pescoço

Falta de resposta a antraciclinas como doxorubicina, alcaloides da vinca e metotrexate

PGP

Glicoproteína –P também conhecida como P-gp, bomba de efluxo transmembrana ATP dependente associada com a resistência adquirida a vários medicamentos

Mama, ovário, linfoma, cabeça e pescoço

Falta de resposta a antraciclinas como doxorubicina, epirubicina e doxorubicina liposomal e outras drogas como paclitraxel, docetaxel, vinblastina, vincristina, vinorelbina

PIK3CA

Mutação específica dentro da PI3 (fosfoinositida quinase 3) via ou uma variação na cópia do número de genes, aberrações ao longo da via PI3K estão associados com muitos tipos de câncer

Colorretal, cérebro (glioblastoma), estômago, mama, pulmão, ovário

Lapatinibe; resistência a cetuximabe, panitumumabe; diminui a resposta ao trastuzumabe

PR

Receptor de progesterona, também chamado de PGR, ativo na multiplicação celular

Mama, ovário, cânceres do trato genital feminino

Letrozole, tamoxifeno, fulvestranto, toremifeno, exemestano, anastrozol, goserelina, gonadorelina, leuprolida, medroxiprogesterona, acetato de megestrol

PTEN

Homólogo da fosfatase tensina, supressor tumoral ativo no EGFR, HER2 e AKT atua nas vias de sinalização celular

Mama, cólon, pulmão (não pequenas células) cérebro (glioblastoma), cabeça e pescoço

Baixa expressão associada com a falta de resposta a cetuximabe, gefitinibe, trastuzumabe, panitumumabe, erlotinibe

RRM1

Ribonucleótido reductase subunidade M1, enzima necessária para a síntese de DNA do RNA e, portanto, pode interferir com tratamentos que funcionam alterando a ação do RNA

Pulmão (não pequenas células), pâncreas

Alta expressão associada com falta de resposta a gemcitabina, hidroxiurea

SPARC

Proteína secretada ácida rica em cisteína, uma proteína ativa no crescimento do tumor e sua disseminação

Pele (melanoma), mama, estômago, pâncreas, cabeça e pescoço

Paclitaxel/não-paclitaxel

TLE3

Família de proteínas implicada na formação de tumores

Mama, ovário

Terapia com taxanos como paclitaxel, docetaxel

TOPO2A

Topoisomerasa IIA, enzima ativa na síntese do DNA e seu reparo

Mama, cólon, ovário, pulmão (pequenas células)

Doxorubicina, epirubicina, doxorubicina liposomal

TS

Timidilato sintetase, enzima ativa na síntese de DNA e seu reparo pode ser inibida por determinados compostos

Mama, cólon, estômago, cabeça e pescoço, fígado, pâncreas, pulmão (não pequenas células)

Falta de resposta a 5-fluorouracil, citarabina, pemetrexed

TUBB3

Tubulina Classe III proteína encontrada em microtubulos importantes da estrutura celular

Ovário, pulmão (não pequenas células)

Taxanos como paclitaxel, docetaxel, alcaloides da vinca como vinorelbine

* O status do biomarcador (sobre-expressão ou baixa expressão positiva ou negativa para mutações específicas, etc.) determina se o biomarcador está associado com a resposta, falta de resposta ou resistência a cada tratamento.

No entanto, apenas seu médico pode decidir quais os tratamentos mais apropriados para seu caso.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive