Núcleo de

Advocacy

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Audiência poderá debater o fornecimento de radiofármacos no Brasil

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 04/10/2018 - Data de atualização: 04/10/2018


O que houve?

Audiência Pública poderá discutir a situação do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares - IPEN e a ameaça à produção e ao fornecimento de radiofármacos no Brasil. É o que determina o Requerimentonº 764/18, apresentado pelo deputado Mário Heringer (PDT-MG), na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados.

O Deputado explica que “a produção de radiofármacos no Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN), da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), do MCTIC, foi iniciada há 60 anos, e tem papel decisivo no desenvolvimento da Medicina Nuclear no Brasil, o que é amplamente reconhecido nacional e internacionalmente". "A produção de radiofármacos pelo IPEN-CNEN/SP contempla 38 produtos, responsáveis por 1,6 milhão de procedimentos (diagnósticos e terapias) anuais, os quais são distribuídos aos serviços de Medicina Nuclear, em mais de 430 centros diagnósticos (clínicas e hospitais) de todo o País. Estimam-se 40 milhões de procedimentos já realizados no País, com radiofármacos fabricados no Instituto. Uma característica particular das instalações do Instituto é a produção de um grande número de radiofármacos distintos, em quantidades necessárias ao atendimento da demanda nacional. Essa diversidade resultou do dinamismo no provimento à sociedade brasileira dos radiofármacos já utilizados nos países mais desenvolvidos, permitindo à Medicina Nuclear do País uma posição destacada internacionalmente”, destaca Heringer.

O parlamentar enfatiza que "a recente interdição da linha de produção de kits liofilizados do IPEN-CNEN/SP sinaliza para o desabastecimento do mercado nacional, não somente do produto MDP, mas também daqueles 9 (nove) produzidos exclusivamente pelo Instituto. O IPENCNEN/SP possui estoque limitado destes reagentes liofilizados, para atendimento da demanda dependendo do produto. Especificamente quanto ao produto MDP, o Instituto possui uma demanda reprimida de pedidos de mais de 900 kits". Por isso, ele pede a audiência pública para debater a situação. 

O Deputado solicitou que sejam convidados os Srs.:

  • Elton Santa Fé Zacarias – Secretário Executivo do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – MCTIC.
  • Juliano Julio Cerci – Presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear.
  • Wilson Aparecido Parejo Calvo – Superintendente da Comissão Nacional de Energia Nuclear – INPE.
  • Paulo Roberto Pertusi - Presidente da Comissão Nacional de Energia Nuclear – CNEN.
  • Presidente do Instituto Nacional do Câncer – INCA.


E agora?

O requerimento será apreciado pela Comissão de Seguridade Social e Família, da Câmara dos Deputados. Após a aprovação, a comissão definirá dia e horário para a realização da Audiência Pública.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2018 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive