Tipos de Câncer

Câncer de Pênis

Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Sanofi Grunenthal Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Efeitos Colaterais a Longo Prazo do Tratamento do Câncer de Pênis

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 02/12/2012 - Data de atualização: 10/08/2018


Para qualquer homem, lidar com o câncer de pênis pode ser um desafio assustador. A remoção parcial ou total do pênis é muitas vezes a maneira mais eficaz de curar o câncer de pênis, mas para muitos homens a cura parece pior do que a doença.

É natural para um homem frente ao tratamento do câncer de pênis sofrer muita angústia, desespero e até depressão. Por mais que ele se prepare para estes sentimentos, sua expectativa está focada em como será sua qualidade de vida após o tratamento.

O tratamento do câncer de pênis pode levar a efeitos colaterais a longo prazo, como:

  • Efeitos na micção

A maioria dos homens ainda poderá ter controle do fluxo da urina após a cirurgia. Em certos casos, a penectomia parcial mantém intacta uma porção do pênis suficiente para permitir uma micção relativamente normal. Muitos homens que foram submetidos à penectomia total devem se sentar para urinar.

  • Efeitos na sexualidade

Se o tumor é diagnosticado precocemente, muitas vezes outros tipos de tratamentos podem ser realizados. Técnicas conservadoras, como quimioterapia tópica ou cirurgia de Mohs podem ter pouco efeito sobre o prazer sexual e as relações sexuais.

A cirurgia para retirada parcial ou total do pênis pode ter um efeito devastador sobre a autoimagem do homem e sua capacidade de ter relações sexuais. Você e sua parceira podem procurar orientação com psicólogos para ajudar a entender o impacto do tratamento do câncer de pênis e para explorar outras abordagens para a satisfação sexual.

Uma relação sexual satisfatória é possível para muitos, mas não para todos os homens após a penectomia parcial. A parte que restou do pênis ainda fica ereto com a excitação e geralmente obtém comprimento suficiente para atingir a penetração. Embora a área mais sensível do pênis (a glande ou cabeça) tenha sido removida, o homem ainda pode atingir o orgasmo e ejacular normalmente. Sua parceira também poderá ser capaz de desfrutar da relação sexual e muitas vezes atingir o orgasmo.

A relação sexual normal não é mais possível após a penectomia total, o que faz alguns homens abandonarem o sexo após a cirurgia. Como o câncer de pênis é mais comum em homens idosos, alguns já não são capazes de ter relações sexuais por causa de outros problemas de saúde. Entretanto, se o homem está disposto a se empenhar em sua vida sexual, o prazer é possível após a penectomia total. Ele pode aprender a atingir o orgasmo em outras áreas sensíveis quando acariciadas, como o escroto, a pele atrás do escroto e a área em torno das cicatrizes cirúrgicas. Ter fantasias sexuais ou ver fotos eróticas também pode aumentar a excitação.

O homem pode ajudar sua parceira a atingir o orgasmo acariciando seus órgãos genitais, praticando sexo oral ou por estimulação com aparelhos, como um vibrador.

Após a penectomia total, a reconstrução cirúrgica do pênis pode ser possível em alguns pacientes. Converse com seu médico para ver se é aconselhável para o seu caso.

  • Linfedema

Os gânglios linfáticos na região da virilha normalmente drenam o excesso de líquido da parte inferior do corpo de volta para a corrente sanguínea. Se os linfonodos da virilha foram removidos ou tratados com radioterapia, o paciente poderá ter problemas com a drenagem do líquido nas pernas ou escroto, o que causa um inchaço anormal, denominado linfedema.

Entretanto, este problema era mais comum no passado, quando muitos linfonodos eram removidos para diagnosticar se existia disseminação da doença. Atualmente, poucos linfonodos são removidos, o que reduz o risco de linfedema. Mas, o linfedema ainda pode ocorrer mesmo com essas medidas.

Fonte: American Cancer Society (09/02/2016)

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive