Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

[ARTIGO] Tabaco, Nicotina e Câncer

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 26/08/2014 - Data de atualização: 26/08/2014


O tabaco contém cerca de 60 substâncias cancerígenas. A grande maioria pertence a três grupos: 1) hidrocarbonetos aromáticos policíclicos, 2) aminas aromáticas e 3) nitrosaminas, estas últimas relacionadas com a nicotina.

A nicotina não é uma substância que causa diretamente o câncer.  Entretanto, a nicotina participa da carcinogênese por atuar como intermediária de macromoléculas pela sua nitrosação [(ligações entre grupos nitrosos e moléculas orgânicas), produzindo como resultado nitrosaminas (compostos químicos cancerígenos produzidos a partir de nitritos e aminas)] específicas do tabaco.

Por outro lado, na sua metabolização no fígado, pode se formar um subproduto, que participa da síntese de substâncias cancerígenas. Recentemente, estudos evidenciaram que a nicotina possui propriedade de angiogênese (formação de novos vasos), que favorece a proliferação das células cancerosas.

As nitrosaminas derivadas da nicotina formam-se durante o procedimento da cura do tabaco, consequentemente, são encontradas na fumaça do tabaco.

São quatro as principais nitrosaminas do tabaco: 1) NNK2 – 4-(metilnitrosamina)-1-(3-piridil)-1-butanona; 2) NNN – N’-nitrosonornicotina; 3) NAB – N’-nitrosoanabasina; 4) NAT – N’-nitrosoanabatina. As nitrosaminas encontradas em maior quantidade são NNK2, NNN e NAT

A nitrosamina NNK2 possui, entre todas, o maior potencial cancerígeno, demonstrado em estudos em ratos nos quais produz câncer no pulmão. 

É importante mencionar que todas as nitrosaminas podem ser detectadas em amostras de urina e na saliva de fumantes.

Além de participar dos elementos constantes no tabaco, provocando câncer nos tabagistas, as nitrosaminas NNK2 e NNN encontram-se em maior proporção na fumaça ao redor da ponta do cigarro, o que contribui com a poluição da atmosfera ambiental e o mais relevante, constituem importantes agentes cancerígenos para os fumantes passivos.

A nitrosação acontece durante a cura do tabaco e no ato de fumar, entretanto, existem evidências de sua formação endógena no organismo. Nesse sentido, por algumas reações químicas da nicotina no fígado, podem se formar precursores cancerígenos no pulmão.

As nitrosaminas também podem ser formadas pela nitrosação da cotinina, que é o principal metabólito da nicotina existente normalmente em todos os tabagistas.

Por outro lado, a propriedade angiogênica da nicotina favorece o desenvolvimento do câncer por meio da proliferação e amplificação da rede de vasos para nutrir as células cancerosas. Existe uma relação entre o volume do tumor, o número de células e a rede vascular, ou seja, propicia a multiplicação mais rápida das células neoplásicas e sua disseminação.

Descobertas recentes mostraram que o gene CYP2A6 tem a propriedade de ativar as nitrosaminas do tabaco. Existem tabagistas que consumem uma grande quantidade de cigarros, passando por aqueles que fumam habitualmente até os que fumam de maneira esporádica. Devido ao grande polimorfismo desse gene, a metabolização da nicotina pode ser muito variada e, portanto, também o consumo de tabaco. Essa diversidade está associada ao risco de câncer, principalmente de câncer do pulmão. Tabagistas que possuem o gene que consumem muito tabaco têm maior risco de câncer do pulmão; ao contrário, nos casos que o gene está ausente, as pessoas fumam menos, o que reduz o risco de doença.

Nos tabagistas, uma forma pela qual o tabaco desencadeia o câncer do pulmão, seria a interação da nicotina com os receptores de nicotina sobre as células epiteliais e as células que no futuro serão cancerosas. Além disso, a nicotina provoca dependência física e psíquica, o que faz que o tabagista fume cada vez mais e, com isso, introduz no organismo substâncias cancerígenas, além das nitrosaminas. Cada tragada de fumaça do cigarro introduz no organismo 4 trilhões de radicais livres.

A nicotina é a substância responsável pela expansão de todos os tipos de câncer, aumentando o risco em 30%.

O tabagismo é responsável por 90% da mortalidade total do câncer de pulmão.

Portanto fumar causa câncer.


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive