Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen Astellas UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

[ARTIGO] Dia Mundial sem Tabaco

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 15/09/2015 - Data de atualização: 15/09/2015


Doenças relacionadas com o consumo de tabaco

O fumo tornou-se um grande problema de saúde pública na história da humanidade. Estima-se que no ano de 2030, o fumo deverá ser a maior causa isolada de mortalidade, podendo ser responsável por 10 milhões de mortes por ano.

Frente ao constante controle e barreiras que os países ricos começaram a colocar para combater a indústria do tabaco o foco passou a atingir com mais impacto os países em desenvolvimento.  A indústria do fumo voltou-se para aqueles menos privilegiados econômica e socialmente, investindo em outros públicos como os adolescentes e as mulheres.

O Brasil é o maior exportador de folhas de tabaco e o quarto produtor de fumo no mundo. Nos últimos 30 anos, foram consumidos no Brasil quase três milhões de toneladas de folhas para a fabricação de 3,5 trilhões de cigarros.

Tabagismo no Brasil

No Brasil, estima-se que cerca de 200.000 mortes/ano são decorrentes do tabagismo (OPAS, 2002). De acordo com o Inquérito Domiciliar sobre Comportamentos de Risco e Morbidade Referida de Doenças e Agravos Não Transmissíveis, realizado em 2002 e 2003, entre pessoas de 15 anos ou mais, residentes em 15 capitais brasileiras e no Distrito Federal, a prevalência de tabagismo variou de 12,9 a 25,2% nas cidades estudadas. Os homens apresentaram prevalências mais elevadas do que as mulheres em todas as capitais. A pesquisa também mostrou que a concentração de fumantes é maior entre as pessoas com menos de oito anos de estudo do que entre pessoas com oito ou mais anos de estudo.

Em relação à prevalência de experimentação e uso de cigarro entre jovens, de acordo com estudo realizado entre escolares de 12 capitais brasileiras, a prevalência da experimentação nessas cidades variou de 36 a 58% no sexo masculino e de 31 a 55% no sexo feminino, enquanto a prevalência de escolares fumantes atuais variou de 11 a 27% no sexo masculino e 9 a 24% no feminino. (INCA)

Doenças associadas ao uso dos derivados do tabaco

São muitos os estudos que evidenciam que o consumo de tabaco e seus derivados causam quase 50 doenças diferentes, principalmente doenças cardiovasculares, câncer e doenças respiratórias obstrutivas crônicas (enfisema e bronquite).

Além disso, esses estudos mostram que o tabagismo é responsável por

  • 200 mil mortes por ano no Brasil (23 pessoas por hora); 25% das mortes causadas por doenças cardiovasculares (angina e infarto); 45% das mortes causadas por doença coronariana em pessoas com menos de 60 anos; 45% das mortes por infarto agudo do miocárdio em pessoas com menos de 65 anos; 25% das doenças vasculares (entre elas, derrame cerebral); 85% das mortes causadas por doença pulmonar obstrutiva crônica (bronquite e enfisema); 90% dos casos de câncer no pulmão; 30% das mortes decorrentes de outros tipos de câncer (de boca, laringe, faringe, esôfago, pâncreas, rim, bexiga e colo de útero).
  • O tabagismo ainda pode causar: Impotência sexual no homem; Complicações na gravidez; Aneurismas arteriais; Úlcera do aparelho digestivo; Infecções respiratórias; Trombose vascular.

Em 2030, o câncer será responsável por cerca de 10 milhões de mortes no mundo, o tipo com maior mortalidade será o câncer de pulmão responsável por quase 20% das mortes.

No Brasil, o câncer de pulmão é o tipo de tumor mais letal e também uma das principais causas de morte no país. As estimativas sobre a incidência e mortalidade por câncer, publicadas a cada dois anos pelo INCA indicam que, em 2011 o número de casos novos de câncer de pulmão será de 17.800 entre homens e de 9.830 nas mulheres. Estes valores correspondem a um risco estimado de 18 casos novos a cada 100 mil homens e 10 para cada 100 mil mulheres.

O hábito de consumo de tabaco é o mais importante fator de risco para o desenvolvimento do câncer de pulmão. Estima-se que 80% a 90% da incidência de câncer de pulmão seja atribuída ao fumo. Comparados com os não fumantes, os tabagistas têm cerca de 20 a 30 vezes mais risco de desenvolver câncer de pulmão.

Nenhuma outra medida teria tanto impacto na redução da incidência do câncer como a eliminação do tabagismo.


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive