Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia Sanofi Grunenthal Sirtex Servier Oncologia


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

[ARTIGO] Avanços no tratamento do câncer de rim melhoram prognóstico de pacientes com metástase

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 15/09/2015 - Data de atualização: 15/09/2015


Diferentemente do que ocorre com outros tipos de câncer, o INCA não publica a estimativa de incidência de câncer renal em seu documento de estimativas de câncer
 
Dados publicados pelo Globocan, um projeto da Organização Mundial da Saúde que visa coletar, organizar e divulgar dados estimativos da incidência e mortalidade dos tipos mais comuns de câncer no mundo, apontam que, em 2008, pouco mais de 4 mil pessoas receberam o diagnóstico de câncer de rim no Brasil. Desta população, 61,7% eram homens. Este pode não ser um número alto quando comparado aos mais de 28 mil diagnósticos de câncer colorretal estimados pelo INCA em 2010, porém a taxa de mortalidade por câncer de rim no país é considerada alta, principalmente quando comparada às taxas de países desenvolvidos. 

Para se ter uma ideia, segundo o Globocan, a taxa de mortalidade por câncer de rim no Brasil é de 54% (ou seja, para cada dois pacientes que são diagnosticados, há um paciente já com diagnóstico da doença que vem a falecer), enquanto nos Estados Unidos esse número é de 24% e na Austrália, 37%. Isto indica que os casos no Brasil tendem a ter um diagnóstico mais tardio, quando a doença é mais avançada.
 
De acordo com doutor Oren Smaletz, oncologista clínico com grande experiência neste tipo de tumor, o rastreamento do câncer de rim não é praxe para a população de forma geral. Na maior parte dos casos, o tumor é descoberto por acaso, por meio de uma ultrassonografia ou tomografia que o indivíduo acaba fazendo por outro motivo. A maior parte dos pacientes de câncer de rim também não costuma apresentar sintomas. Quando isto ocorre, frequentemente, a doença já se encontra em estado metastático.
 
Um estudo realizado em 2009 pela Sociedade Brasileira de Urologia apontou que quase 40% dos casos de câncer de rim são diagnosticados quando o tumor está nos estágios 3 ou 4, considerados avançados e com poucas chances de cura.
 
Além das dificuldades encontradas para realizar o diagnóstico, outro fator influencia decisivamente no tratamento deste tipo de tumor: o fato de que ele apresenta baixas respostas à quimioterapia. Segundo o doutor Oren, para tumores sem evidência de metástase, o tratamento padrão e eficaz é a cirurgia, que cura a maioria destes casos.

"No caso de tumores pequenos, recomenda-se a nefrectomia parcial, ou seja a ressecção de uma parte do rim apenas, que pode ser feita por laparoscopia”, afirma o doutor Oren Smaletz. Segundo ele, esse tipo de procedimento tem o intuito de preservar uma parte do rim, mantendo o mais intacta possível sua função de filtração do restante do rim, que será poupado. Embora a maior parte dos adultos consiga viver normalmente com um rim apenas, o ideal é tentar preservar o máximo de tecido renal possível.
 
No que se refere à doença metastática, nos últimos cinco anos, seis novas drogas de administração oral foram aprovadas para o tratamento de câncer de rim. Elas têm como objetivo diminuir a formação dos vasos sanguíneos que nutrem o tumor. "Ao interferir nestas vias, o tumor pode parar de crescer e, em alguns casos, até ocorre uma diminuição de seu tamanho”, afirma o doutor Smaletz.
 
Essas drogas vieram substituir a imunoterapia - tratamento padrão anteriormente usado para casos metastáticos -, com resultados muito superiores e menos efeitos colaterais. "Estes novos medicamentos estão fazendo com que uma boa parcela dos pacientes de câncer de rim consiga viver mais e melhor”, completa doutor Smaletz.

Números Câncer de Rim no Brasil *

  • Diagnósticos – 4176 casos estimados em 2008.
  • Homens – correspondem a 61,7% dos diagnósticos.
  • Mortalidade por câncer de rim (Brasil) – 54%.
  • Mortalidade por câncer de rim (mundo) – 42,54%.
*Fonte: Globocan

Possíveis sintomas

  • Febre.
  • Emagrecimento.
  • Sangue na urina (hematúria).

Que médico procurar para iniciar a investigação?

Clínico geral ou urologista

Prevenção

Não há fatores de risco que comprovadamente favoreçam o aparecimento deste tipo de câncer. 

Alguns dados sugerem que o tabagismo e a obesidade podem contribuir para o desenvolvimento da doença, mas não há evidências sobre isso. 


Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive