Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Sanofi Grunenthal Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

ANS adia decisão de atualização de Rol

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 11/02/2021 - Data de atualização: 11/02/2021


A Agência Nacional de Saúde Suplementar realizou, nesta quarta-feira (10), a 543ª reunião da Diretoria Colegiada da entidade. Além de apreciar processos administrativos sancionadores, o colegiado apreciou propostas relacionadas ao processo de ressarcimento ao SUS; o Programa de Acreditação de Operadoras de Planos Privados de Assistência à Saúde; e Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde.

Atualização do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde

Também foi apresentada a proposta de Resolução Normativa que atualiza o Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde, substituindo a RN 428/2017. As contribuições recebidas por meio de consulta pública somaram mais de 30 mil e se concentraram sob as perspectivas de procedimentos e medicamentos. 

O medicamento Nusinersena, destinado ao tratamento de atrofia medular espinhal (AME) recebeu 1357 contribuições, sendo o segundo medicamento que maior percentual (9%). 

A nova versão de resolução agrega novas regras já consolidadas em entendimentos divulgados pela área técnica. Das 91 contribuições acatadas, foram realizadas 14 alterações na minuta previamente apresentada. 

A proposta de atualização e de incorporação de medicamentos traz 5 medicamentos para o tratamento da esclerose múltipla.

O colegiado apenas apreciou a matéria, adiando sua deliberação. Alguns diretores solicitaram a apresentação de relatórios de impactos orçamentários para poder deliberar sobre a matéria.

Ressarcimento ao SUS

Foi realizado informe sobre a as contribuições recebidas acerca da proposta de alteração da Resolução Normativa nº 358, de 27 de novembro de 2014, para o aprimoramento do processo de ressarcimento ao SUS. 

O objetivo da alteração é discriminar um percentual de redução para o limite do Aviso de Beneficiários Identificados, gerando aumento da eficiência pela diminuição da quantidade de analises. A operadoras e entidades representativas de operadoras foram os maiores participantes da consulta pública. 

Dentre as principais contribuições que deverão ser incorporadas pela nova norma, estão a baixa atratividade do Ajuste de Identificação por Coparticipação e Franquia (AIC), já que a adesão se dará por meio de adesão voluntária. Outro ponto bastante questionado é relativo a possíveis sanções caso sejam verificadas irregularidades por meio da auditoria. O entendimento é que não há possibilidade de dispensa já que isso tornaria o sistema frágil a críticas de órgãos de controle e do Fundo Nacional de Saúde, além do possível comportamento inadequado de algumas operadoras.

O Ministério de Economia se manifestou pela necessidade de uma analise mais aprofundada acerca do impacto regulatório da medida e dos custos decorrentes 

Durante a apresentação, foi destacado que a adoção de maiores alterações no sistema atual simboliza maior custo orçamentário e necessidade de mais tempo para desenvolvimento. A agência entende que estas mudanças são modificações esperadas para o futuro do sistema de ressarcimento.

Dentre as melhorias propostas estão a inclusão das informações de coparticipação no Sistema de Informações de Beneficiários (SIB), destacando que a melhoria dos sistemas SEI e SGR Web já ajudariam no esforço de inclusão das informações relacionadas ao processo de ressarcimento, determinando muitas análises.

Programa de Acreditação de Operadoras de Planos Privados de Assistência à Saúde

Os diretores também aprovaram alterações da RN nº 452, de 09 de março de 2020, que dispõe sobre o Programa de Acreditação de Operadoras de Planos Privados de Assistência à Saúde. A resolução normativa demanda alterações devido a atualização de norma do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), de norma da ANS e de erro material na consolidação das contribuições da Consulta Pública. 

O Inmetro determinou o fim da vigência das certidões das entidades acreditadoras, já que o órgão fiscaliza anualmente as entidades e suspende as certidões no caso de irregularidade. Sendo assim, uma data de validade não se torna necessária. Essa mudança impacta o texto da RN, já que a renovação das certidões estava prevista no texto.

Outra mudança que impactou no texto da RN foi a revogação da necessidade de aprovação pela ANS do modelo de capital próprio. Sendo necessário suprimir dispositivo referente a este processo.

O erro material na consolidação das contribuições recebidas demanda readequação ortográfica e na contagem de itens e anexos. 



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2021 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive