Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Ana Maria Braga volta ao "Mais Você" e diz que tumor já reduziu 50%

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 03/03/2020 - Data de atualização: 03/03/2020


A apresentadora Ana Maria Braga, 70, retornou ao comando do programa Mais Você (Globo) na manhã desta segunda-feira (2) e aproveitou para falar sobre o tratamento que está fazendo contra um câncer de pulmão.

Segundo ela, os resultados têm sido positivos e o tumor já reduziu 50%.

— Eu estou seguindo com o tratamento, ele é necessário. E felizmente tem dado muito bons resultados (...) Estou indo muito bem, mas a missão é a cura. Tenho mais duas sessões programadas, então peço paciência a vocês, porque posso me ausentar por um ou dois dias. Mas estou focada na missão.

Ana Maria, que já lutou contra o câncer outras vezes, afirmou que está fazendo um tratamento combinado de quimioterapia e imunoterapia. Ela explicou ainda que o tratamento usa o sistema imunológico do paciente para combater a doença. Segundo ela, ele ataca as células cancerosas, mas pode atacar também as células normais. 

A apresentadora teve alguns efeitos colaterais, como vermelhidão na pele. 

— Eu aprendi no meu primeiro câncer que todos temos um poder imenso dentro da gente. Temos milhões de células. A gente está dando armas a cada uma dessas células para que elas possam entrar em guerra contra o tumor — afirmou. 

Ao anunciar que estava lutando contra a doença, Ana Maria já tinha afirmando que não perderá cabelo durante o tratamento, mas que há "dias em que você fica mais sensível".

Além de se dedicar ao tratamento, Ana Maria Braga também se casou com o francês Johnny Lucet, 55, durante as férias, que já estavam programadas antes de saber da doença. O anúncio da união foi feito no programa Mais Você do último dia 10, pelos então apresentadores Fabrício Battaglini e Patrícia Poeta.

Carlos Henrique Teixeira, coordenador da oncologia torácica do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, afirma que a agressividade de cânceres de pulmão faz com que seja comum a recorrência, mesmo com tratamentos anteriores de sucesso. Por isso, é necessário manter um acompanhamento dos pacientes. 

O adenocarcinoma, subtipo da doença que atinge a apresentadora, representa cerca de 40% dos cânceres de pulmão, de acordo com o Instituto Oncoguia. A doença atinge mulheres em uma proporção um pouco superior aos homens.

Luta contra o câncer
Em dezembro de 2015, Ana Maria Braga também revelou durante o Mais Você que estava tratando um câncer no pulmão. Na época, a apresentadora teve que passar por uma cirurgia para a retirada de um tumor em seu pulmão esquerdo.

— Tive um anjo na minha vida. Eu poderia estar até hoje sem saber que estava com um problema no pulmão. Bill, meu companheiro hoje, me cobra muito e comecei a fazer ginástica. Ele dizia para eu parar de fumar e que eu precisava fazer alguns exames. Ele tanto insistiu que marquei uma consulta. Fiz uma tomografia e quando eu saí disseram que acharam uma coisa pequena, um início de um tumor cancerígeno. [...] É um risco que toda pessoa que fuma tem — contou.

Antes disso, Ana Maria enfrentou um câncer de pele em 1991 e descobriu, em 2001, que estava com câncer detectado na virilha e no reto. 

— Tinha hora em que eu ligava o chuveiro, deitava embaixo e chorava muito — contou em uma entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, em 2016.

— É natural que isso aconteça. Mas você tem que acreditar de verdade. Eu dizia "vou aguentar". Nunca imaginei que a doença seria maior do que eu — contou. — Eu fumei por tanto tempo, é previsível. Foi minha culpa. Quer dizer, não é questão de culpa, é vício. Sou viciada em nicotina, como um drogado ou um alcoólatra.

A apresentadora também afirmou na época que a radioterapia havia sido "arrasadora", mas que se sentiu "sortuda" por ter acesso "ao que há de melhor na medicina". 

— Eu tenho um limiar alto de dor, mesmo assim sofri. Tomava muita morfina quando eu podia. Nas outras horas, eu trabalhava. Continuei trabalhando porque era um grande motivo para levantar todo dia. Gosto muito do que faço.

Fonte: GaúchaZH



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive