Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Danone Nutricia Sanofi Grunenthal Sirtex Servier Oncologia


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Algoritmo ajuda a selecionar pacientes com câncer para cirurgia urgente

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 09/06/2020 - Data de atualização: 09/06/2020


Pesquisadores do The Royal Marsden e do Instituto de Pesquisa de Câncer (ICR), ambos de Londres, em colaboração com colegas do Reino Unido, Alemanha e EUA, desenvolveram um método para melhor seleção de pacientes com câncer de mama durante a pandemia de Covid-19. O algoritmo escolhe quais das pacientes precisam de quimioterapia ou de cirurgia com urgência.

Usando dados de vários estudos internacionais, o algoritmo pode identificar pacientes na pós-menopausa com câncer de mama primário ER + HER2- (cerca de 70% dos casos), cujos tumores são menos sensíveis ao sistema endócrino e que devem ser priorizadas para cirurgia precoce ou quimioterapia neoadjuvante.

A pandemia de Covid-19 levou hospitais do mundo todo a priorizar cirurgias e quimioterapias para pacientes mais urgentes, a fim de proteger a equipe médica e pacientes mais vulneráveis. Enquanto pessoas diagnosticadas com câncer de mama triplo negativo e HER2 positivo são levadas com mais urgência para os tratamentos, um grande grupo de pacientes tem sido obrigado a adiar suas sessões e fazer tratamentos alternativos, como terapia endócrina neoadjuvante (NeoET), que reduz a estimulação da doença por estrogênio sem a remoção cirúrgica do tumor.

O professor Mitch Dowsett, diretor do Centro Ralph Lauren de Pesquisa do Câncer de Mama no Royal Marsden e professor de endocrinologia bioquímica no ICR, liderou o estudo publicado no NPJ Breast Cancer nesta semana. O trabalho destacou que, embora 85% das pacientes que tiveram suas cirurgias adiadas estariam seguras para permanecer no tratamento com NeoET por até seis meses, 15% podem ser identificados como resistentes ao tratamento e com risco de evolução da doença.

"O NeoET pode impedir que o tumor cresça em muitas mulheres, mas para uma em cada seis que são resistentes, existe o risco de o tumor continuar a crescer e se espalhar em outros lugares", disse Dowsett.

"Ao acessar resultados não publicados de ensaios clínicos envolvendo milhares de pacientes, com colegas aqui e no exterior, desenvolvemos uma nova maneira de direcionar o tratamento de pacientes nessa crise global", continuou. "Usando os dados sobre receptores de estrogênio, de progesterona e proliferação do tumor em pacientes recém-diagnosticadas, nossa calculadora nova e simples pode ser usada por colegas médicos em todo o mundo para identificar imediatamente o melhor curso de tratamento para cerca de 80% de seus pacientes".

Para os outros 20%, o médico afirma que, algumas semanas após iniciar o tratamento com NeoET, mede-se o valor de uma proteína que dita o ritmo de divisão celular no tumor. "No geral, podemos identificar os 15% das mulheres que correm maior risco apenas com o NeoET e devem ser priorizadas para cirurgia e quimioterapia neoadjuvante", explicou.

Com esse novo método, será mais fácil para os médicos identificarem as necessidades das pacientes, e evitarem a exposição desnecessária ao coronavírus daquelas que estão em situação menos preocupante.

Fonte: Olhar Digital

As opiniões contidas nas matérias divulgadas refletem unicamente a opinião do veículo, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte do Instituto Oncoguia.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive