O gene e o câncer de mama

BRCA


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Sanofi Grunenthal Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

Abordagem terapêutica

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 09/10/2020 - Data de atualização: 09/10/2020


Em geral, os cânceres de mama associados às mutações BRCA1 e BRCA2 são tratados da mesma maneira que os cânceres de mama não relacionados a essas mutações.

No entanto, algumas terapêuticas medicamentosas podem ser mais eficazes no tratamento dos cânceres de mama relacionados ao BRCA1 ou 2 do que outros tipos de câncer de mama.

Os inibidores PARP olaparibe e talazoparibe são usados no tratamento do câncer de mama avançado em pacientes com mutações no gene BRCA1 ou 2. Esses mesmos medicamentos não são usados em pacientes com a doença sem mutações no gene BRCA1 ou 2.

Os medicamentos quimioterápicos à base de platina, como carboplatina, podem ser melhores no tratamento dos cânceres de mama associados ao BRCA1 ou 2 do que outros cânceres de mama. Entretanto, isso ainda está em estudo.

Cirurgia profilática (Redutora de risco). A cirurgia profilática envolve a retirada da maior quantidade possível de tecido. As mulheres podem optar por remover os dois seios (mastectomia profilática bilateral) para reduzir o risco de câncer de mama. A cirurgia para remover os ovários e as trompas de falópio (salpingo-ooforectomia profilática bilateral) pode reduzir o risco de câncer de ovário. A ressecção dos ovários também pode reduzir o risco de câncer de mama em mulheres na pré-menopausa, eliminando a fonte de hormônios que alimentam o crescimento de alguns tipos de câncer de mama.

Não se sabe se a mastectomia profilática bilateral reduz o risco de câncer de mama em homens com uma mutação BRCA1 ou BRCA2 ou histórico familiar de câncer de mama. Portanto, a mastectomia profilática bilateral para homens com alto risco de câncer de mama é considerada um procedimento experimental.

A cirurgia profilática não garante que o câncer não se desenvolverá, porque nem todos os tecidos são removidos cirurgicamente. Por essa razão, esses procedimentos são descritos como "redutores de risco" e não "preventivos". No entanto, esses procedimentos cirúrgicos conferem benefícios substanciais. Por exemplo, pesquisas mostram que mulheres que se submeteram à salpingo-ooforectomia profilática bilateral tiveram uma redução de quase 80% no risco de morrer de câncer de ovário, uma redução de 56% no risco de morrer de câncer de mama e uma redução de 77% no risco de morrer de qualquer causa durante os períodos de acompanhamento dos estudos.

A redução do risco de câncer de mama e câncer de ovário com a retirada dos ovários e das trompas de falópio parece ser semelhante para portadores das mutações BRCA1 e BRCA2.

Quimioprevenção. A quimioprevenção é o uso de medicamentos para reduzir o risco de câncer. Embora dois medicamentos quimiopreventivos (tamoxifeno e raloxifeno) estejam aprovados para reduzir o risco de câncer de mama em mulheres com risco aumentado, o papel desses medicamentos em mulheres com mutações BRCA1 ou BRCA2 ainda não está claro. No entanto, esses medicamentos podem ser uma opção para as mulheres que não optam ou não podem fazer a cirurgia.

Texto originalmente publicado nos sites National Cancer Institute (30/01/2018), National Breast Cancer Foundation (25/09/2020) e Susan G. Komen (25/02/2020), livremente traduzido e adaptado pela Equipe do Instituto Oncoguia.

Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2021 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive