Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Boehringer Bayer Janssen MSD Takeda Astellas UICC Libbs Abbvie Ipsen Sanofi Daiichi Sankyo GSK Avon Nestlé Servier


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

A importância de uma boa alimentação para o paciente com câncer

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 12/09/2022 - Data de atualização: 12/09/2022


Para um paciente com câncer, alimentar-se adequadamente é mais do que um hábito saudável, é um passo importante para o sucesso do tratamento.
 
Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), uma boa nutrição está atrelada diretamente ao bem-estar do paciente com câncer. Um dos motivos é a grande frequência de desnutrição calórica e proteica naqueles que estão enfrentando a doença.
 
Entre os principais fatores para essa desnutrição estão, alterações metabólicas e aumento da demanda calórica provocadas pelo crescimento do tumor e a redução na ingestão de alimentos – muitas vezes incentivada pelos efeitos colaterais de tratamentos. “O paciente pode emagrecer, mas também engordar. Nenhuma das duas opções é adequada e merecem seu cuidado”, afirma Luciana Holtz, presidente do Oncoguia.
 
Sobre isso, o Instituto Oncoguia lembra que todos os tratamentos para o câncer, como a quimioterapia, hormonioterapia, radioterapia, cirurgia, imunoterapia e o transplante de medula óssea podem afetar a alimentação dos pacientes.
 
Portanto, priorizar uma boa alimentação durante o tratamento de câncer é essencial para garantir que o paciente consiga absorver os nutrientes necessários para fortalecer o corpo.
 
Dicas para manter uma alimentação saudável durante o tratamento
 
Existem recomendações para evitar a desnutrição e aumentar o bem-estar durante o tratamento. O Inca, em seu Guia de Nutrição para Pacientes e Cuidadores, recomenda aos pacientes com câncer  alguns cuidados gerais, como manter uma rotina alimentar, evitar pular refeições, comer devagar, ingerir bastante água (no mínimo dois litros), incluir muitas frutas, verduras e legumes na alimentação e evitar o consumo de alimentos ultraprocessados.
 
O Oncoguia também tem dicas específicas para situações comuns no dia a dia de quem está passando por um tratamento de câncer:
 
Falta de apetite
 
É frequente que o paciente com câncer não sinta vontade de comer nem tenha fome como um efeito colateral. Entretanto, se manter alimentado é importante para a disposição e força, o que ajuda na recuperação de algum procedimento mais invasivo ou depois de uma sessão  do tratamento.
 
O que ajuda:

  • Fazer pequenas refeições com intervalos de tempo menores entre elas. Tente comer de 2 em 2 horas e não se preocupe em comer tudo. 
  • Tente não pular as refeições, mesmo que não tenha vontade de comer. Nessas situações, tente escolher algum alimento de fácil mastigação, como mingau, sopas e vitaminas.
  • Prepare pratos coloridos e variados e inclua novos alimentos em seu cardápio.
  • Converse com seus familiares ou cuidadores sobre seus desejos alimentares antes do preparo de suas refeições para ajudá-los a acertar seus gostos em relação à quantidade de temperos, ao volume e à temperatura das refeições,

Enjoos e vômitos
 
Náusea é um efeito colateral muito comum durante o tratamento de um câncer. Mas é importante não deixar de se alimentar. O Inca seleciona algumas dicas que podem ajudar:

  •  Não fique muito tempo sem se alimentar. O jejum prolongado pode piorar os sintomas. Faça pequenas refeições com intervalos de tempo menores entre elas.
  • Procure não ficar próximo do local de preparo do alimento e faça as refeições em locais frescos e arejados.
  • Não deite após as refeições. Você deve descansar sentado.
  • Evite beber líquidos no mesmo horário das refeições.
  • Evite ingerir os alimentos que você mais gosta durante os episódios mais intensos, pois eles podem estar associados à sensação de mal-estar.
  • Mantenha a sua higiene oral em dia.
  • Evite alimentos gordurosos, frituras, muito quentes ou picantes. Eles podem piorar a sensação de enjoo. 
  • Alimentos gelados melhoram a sensação de enjoo. Picolés, sucos ou vitaminas bem gelados podem te ajudar. (Alguns quimioterápicos – como a Oxaliplatina – causam reações adversas quando há o consumo de alimentos ou bebidas geladas. Pergunte sobre sua situação à sua equipe médica). 

Alterações na sensação de gosto e cheiro (paladar e olfato)
 
Muitos medicamentos usados no tratamento do câncer podem alterar a sensação de paladar e olfato dos pacientes, o que atrapalha a alimentação. Veja o que fazer neste caso:

  • Enxágue a boca antes das refeições.
  • Para diminuir a sensação de sabor doce nas preparações salgadas, adicione gotas de limão e ervas naturais. 
  • Se estiver com a sensação de gosto metálico na boca, evite consumir carne vermelha, substituindo-a por peixe, frango ou ovos, e utilize talheres de plástico ou outro material não metálico. 
  • Consuma alimentos bem temperados, dando ênfase ao aroma e à textura. Prefira temperos naturais, como hortelã, manjericão, limão, salsa, cebolinha, coentro, cebola, alho, orégano. 
  • Alimentos ricos em zinco e cobre ajudam na recuperação do paladar, como milho, feijão, cereais de trigo, aveia, ovo, carne assada, ervilhas, pães integrais, vegetais folhosos escuros.
  • Se sentir alteração no gosto da água, aromatizar com rodelas de limão ou laranja, hortelã e/ou raspas de gengibre pode ajudar. 

Boca seca
 
Assim como as alterações de sentido, um dos efeitos colaterais que mais atrapalham o paciente com câncer na hora de se alimentar é a alteração na produção de saliva. A famosa sensação de boca seca.
 
Veja algumas orientações para esse caso:

  • Antes das refeições, enxágue a boca com 1 colher de sopa de suco de limão diluído em 1 copo de água.
  • Aumente a ingestão diária de líquidos. Acrescentar algumas rodelas de limão na água também ajuda.
  • Pequenos goles de água ou suco durante as refeições também podem ajudar a engolir.
  • Mastigue bem lentamente os alimentos. 
  • Evite alimentos secos, duros e crocantes.
  • Prepare a comida com caldos ou molhos e prefira alimentos pastosos ou líquidos;
  • Consuma frutas cítricas e com alto teor de líquidos, por exemplo, abacaxi, laranja e melancia.
  • Em caso de aftas, evite alimentos muito salgados e ácidos.
  • Se não houver aftas, picolés caseiros ou gelos saborizados, de preferência os cítricos, podem ajudar a produzir mais saliva. 

Feridas na boca, dor na boca ou na garganta e dificuldade para mastigar ou engolir
 
Feridas na boca que causam dor ou dificuldade na hora de comer podem acontecer como efeitos colaterais dos tratamentos, principalmente se o câncer for localizado na boca ou garganta. A radioterapia e os medicamentos podem causar dores devido ao surgimento de aftas.
 
Alguns cuidados especiais podem facilitar a alimentação:

  • Evite alimentos ácidos, picantes, muito condimentados ou salgados.
  • Reduza a quantidade de sal das preparações.
  • Evite alimentos duros, secos e de difícil mastigação.
  • Prepare a comida em uma consistência que for melhor tolerada e que ofereça menor dificuldade para mastigar ou engolir (alimentos bem cozidos, suflês, purês, mingaus etc.).
  • Em casos graves, prefira alimentos líquidos ou liquidificados e em temperatura ambiente (mornos).
  • Pequenos goles de água ou suco durante as refeições também ajudam a engolir.

Vale lembrar que para alguns desses efeitos também existem medicamentos de suporte que podem ser prescritos pelo seu oncologista e cobertos pelos planos de saúde.
 
Conteúdo produzido pela equipe do Instituto Oncoguia.



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive