Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Sanofi Grunenthal Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

A forte relação do câncer ao consumo de carnes processadas

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 29/07/2021 - Data de atualização: 29/07/2021


Há muitos anos se fala da forte relação do consumo de carnes processadas com os riscos de aparecimento do câncer. Estima-se que cada porção diária de 50 gramas de carne processada aumente o risco de câncer colorretal em 18%.

A partir de um novo relatório elaborado pela Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (IARC, na sigla em Inglês), a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou no grupo 1 de carcinogênicos, a forte ligação do consumo de carnes processadas a maiores riscos da doença. Colocando-os no mesmo patamar que alguns carcinogênicos bastantes conhecidos, como o tabaco, amianto e a fumaça de óleo diesel.

São consideradas carnes processadas:

Salsichas;
Linguiças;
Bacon;
Salames;
Presunto.

Mas também os considerados lights e saudáveis como o peito de peru ou blanquet. Ou seja, são aquelas que sofreram algum processo de salgamento, cura da carne, fermentação, defumação entre outros processos para realçar o sabor ou melhorar a sua preservação.

Um grande problema está na utilização de nitrito. No organismo, os nitritos reagem formando as nitrosaminas, compostos associados a danos celulares e ao câncer.

As carnes vermelhas - de boi, porco, carneiro, bode e cavalo - foram classificadas pela IARC como um carcinógeno e entrou na lista do grupo 2A. A recomendação é que sejam ingeridas até duas vezes na semana, podendo ser substituídas nos outros dias, pelas carnes brancas, ovos e outras combinações de alimentos com valor proteico semelhante, como arroz com feijão.

O modo de preparo também influencia nos riscos de câncer. Deve-se dar prioridade ao consumo das carnes cozidas ou assadas no forno, em vez de fritas, grelhadas ou colocadas diretamente na brasa.

O relatório também deixa claro que a relação do consumo de carnes processadas e o maior risco de cânceres é dose-dependente, ou seja, quanto maior o seu consumo, maior o risco.

Fonte: G1



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2021 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive