Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD Mundipharma Takeda Astellas UICC GBT Abbvie Ipsen Sanofi Grunenthal Daiichi Sankyo


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

4 perfis de mulheres inspiradoras que venceram o câncer de mama

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 01/10/2021 - Data de atualização: 01/10/2021


Falar sobre câncer não causa câncer. É essa a mensagem que muitas pacientes oncológicas desejam passar adiante. Nas redes sociais, várias dessas mulheres que venceram o câncer de mama criam uma verdadeira rede de apoio, com a ideia de compartilhar suas rotinas, vitórias e servir de incentivo a outras tantas que ainda estão em tratamento.

Conheça a história de 4 mulheres que ajudam a quebrar barreiras da desinformação, do preconceito e do medo e mostram que você irá vencer também!

Linda Rojas

Linda Rojas derrotou o câncer de mama duas vezes.

A influenciadora digital Linda Rojas, de 33 anos, venceu o câncer de mama não só uma vez como duas.

Ela descobriu o tumor pela primeira vez em 2012, quando tinha 24 anos, ao se apalpar em casa. Geralmente, quando o nódulo é apalpável já está em estágio mais avançado.

|Só no Brasil, cerca 60 mil mulheres são diagnosticadas com câncer de mama todos os anos
Linda, então, passou por  um tratamento, que durou oito meses. Fez quimioterapia, radioterapia e passou por cirurgia para retirar parte da mama.

Cinco anos depois, ela descobriu o segundo diagnóstico. Dessa vez, passou pela dupla mastectomia. Um ano depois, já curada fez a reconstrução das mamas.

Hoje, ela está grávida de oito meses, esperando o primeiro filho, o pequeno Martin.

“Antes: eu era uma carequinha bem da insistente. Eu não me conformava em viver pela metade, então sempre me empenhei em enfrentar o câncer. Ainda que tivessem dias que enfrentasse a doença em posição fetal, na cama, num quarto escuro e com os olhos molhados de tanto chorar. Não importa, isso faz parte, isso me motivava a sair daquele lugar. Depois: estou exatamente onde me esforcei para estar, mas nem de perto imaginei que os planos de Deus coincidiriam com o os planos que timidamente guardava aqui dentro”, escreveu em uma publicação.

Camila Pinheiro

A comunicadora venceu o câncer de mama e já passou pela cirurgia de reconstrução mamária
Foram dois anos de tratamento enfrentados com muita coragem pela locutora da Radio 89 FM Camila Pinheiro. Período, que segundo ela, a fizeram evoluir, crescer e aprender muito.

Ela descobriu a doença quando buscou um médico para fazer implante hormonal, um tipo de contraceptivo. Ao fazer ultrassom, descobriu os nódulos.

Depois de ouvir o diagnóstico, Camila decidiu abraçar a condição e compartilhar sua experiência com o tratamento no Instagram.

Após uma mastectomia bilateral, ou seja, retirada dos dois seios, 16 sessões de quimioterapia, 26 de radioterapia e fisioterapia, a batalha foi ganha!

“A luta contra o câncer precisa deixar de ser só medo! Cicatrizes precisam começar a ser expostas, carecas precisam começar a ser assumidas! Essa doença infelizmente é uma realidade cada vez mais comum entra as mulheres, uma realidade que quanto mais for falada e vista mas será prevenida e muitas guerreiras permanecerão aqui e sem vergonha de quem se tornaram, sem vergonha das marcas que ganharam. Afinal, qual vencedor tem vergonha de exibir seu troféu?! YOU ROCK GIRL”, escreveu Camila em uma publicação.

Carol Magalhães

Carol Magalhães teve o diagnóstico aos 29 anos

A escritora e publicitária Carolina Magalhães foi diagnosticada com câncer de mama aos 29 anos. Depois do baque, ela resolveu tratar do assunto com leveza, dividindo sua experiência com a doença nas redes sociais e dando dicas para as seguidoras.

Dois anos depois, já curada, ela transformou sua história em livro. “Mas nem parece que você tem câncer” foi lançado em 2018 e traz todo o processo de enfrentamento da doença.

Ela também precisou fazer mastectomia, além de sessões de quimioterapia e radioterapia. “Hoje estou aqui para contar essa história, que não foi nada fácil, mas deu certo no final. Foi uma trajetória de pouco mais de um ano. Nunca pensei que fosse morrer, sempre tive muita fé e força para seguir dia após dia no tratamento, por mais difícil que fosse muitas vezes”, diz Carol.

Roberta Perez

Após concluir o tratamento de câncer de mama, Roberta se tornou mãe

A pior coisa que lhe aconteceu, mas também um despertar que tanto precisava para se reencontrar. É essa a definição que a fisioterapeuta Roberta Perez, de 31 anos, dá sobre a descoberta da doença.

Foi no ano de 2016. Roberta, que tinha na época de 27 anos, ficou mexida após ler um texto de uma colega de escola, que falava do próprio diagnóstico sobre a doença e da importância das mulheres se cuidarem.

O alerta fez com que ela voltasse atenção para sua saúde. Ela, então, marcou um médico e praticamente na mesma época, sentiu um nódulo na mama. O resultado dos exames confirmaram a suspeita: câncer de mama.

Por ter descoberto a doença a partir de uma publicação na internet, ela achou que deveria fazer o mesmo e levar conscientização para outras mulheres.

Em seu Instagram @vaipormim.oficial, ela dividiu sua experiência durante o tratamento: a queda de cabelo, as sessões de quimioterapia, a nova rotina de exercícios físicos.

“Foi tão difícil, tão intenso e tão doloroso que quando olho pra trás eu me surpreendo de ter conseguido enfrentar tanta coisa”, escreveu ela em seu Instagram.

Hoje, com a vida cheia de autocuidado, ela divide outra alegria com os seguidores: a chegada recente do filho.

“Sempre pensei como seria o momento próximo da minha alta da oncologia, e em nenhum dos meus pensamentos eu me via esperando um neném. Sinto que ao longo dos anos fui sendo preparada para receber essa missão, e hoje na minha conversa com Deus, agradeci com toda a minha alma o presente que recebi no ano da minha cura. Não tenho mais medo de morrer! Tenho medo de não viver a vida com você, neném”, diz.

Fonte: Catraca Livre



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2021 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive