Categorias


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Financiadores

Roche Novartis Varian Bristol MerckSerono Lilly Amgen Pfizer AstraZeneca Bayer Janssen MSD ACS Mundipharma Takeda Susan Komen UICC Libbs Healthy Americas GBT Abbvie Ipsen Shire


  • tamanho da letra
  • A-
  • A+

32% dos brasileiros acham que câncer é causado por trauma psicológico

  • Equipe Oncoguia
  • - Data de cadastro: 17/04/2019 - Data de atualização: 17/04/2019


Divulgado durante o IX Fórum Nacional Oncoguia, que acontece em Brasília nesta quarta e quinta-feira (16/04/19 e 17/04/19), um estudo realizado pelo IBOPE Inteligência e encomendado pelo Instituto Oncoguia afirma que 32% dos 2 mil entrevistados de diversas faixas etárias, regiões e rendas familiares acredita que o câncer é decorrente de traumas psicológicos. Não há nenhuma pesquisa que relacione esses traumas à doença.

A pesquisa também mostrou que 62% dos entrevistados não associa a doença à obesidade, uma condição que comprovadamente torna o paciente predisposto à neoplasia, e 8%, não o relaciona o desenvolvimento da doença ao tabagismo, um hábito cancerígeno.

Apesar de 100% dos entrevistados conhecerem ou já terem ouvido falar na doença, ainda há uma percepção muito negativa do câncer e pouca informação sobre os avanços da medicina na área. Um terço (32%) dos que responderam a pesquisa afirmaram acreditar que o câncer é uma “sentença de morte” e receber um diagnóstico “significa sofrer e ter muita dor”. Entre os respondentes, 7% disseram que não falam a palavra “câncer” por medo.

De acordo com Luciana Holtz, presidente do Instituto Oncoguia, o câncer ainda não é prioridade no país e é preciso mudar a forma como a população enxerga a doença. “Precisamos mudar esses conceitos, essa forma de olhar para o câncer somente atrapalha a prevenção e o apoio a quem está enfrentando a doença”, afirma.

60 dias
Apesar de valer desde 2012, a lei dos 60 dias —  texto que obriga o SUS a iniciar o tratamento de câncer em no máximo dois meses depois do diagnóstico — é desconhecida pela população. Ainda de acordo com a pesquisa, 73% dos entrevistados não acreditam que é possível começar o tratamento no sistema público dentro deste prazo. Desses, 78% culpam a fila de espera, 46% a falta de vagas para cirurgia e 25% a falta de vagas para quimioterapia e radioterapia, por exemplo.

O Senado Federal deve votar, inclusive, uma adição à Lei dos 60 dias esta semana. A ideia é que o PLC dos 30 dias, como é conhecido, determine um mês como prazo máximo para a confirmação do diagnóstico de câncer. Os exames devem ser feitos dentro do prazo nos casos de suspeita da doença. Com isso, o paciente de câncer que procura o SUS deve, em 90 dias, ter o diagnóstico confirmado e o tratamento iniciado.

Matéria publicada pelo Metrópoles em 16/04/2019



Este conteúdo ajudou você?

Sim Não


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2019 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive