Espaço do

Paciente


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Apoio
Roche Norvatis Varian Bristol Lilly Amgen Pfizer Astrazeneca Bayer Janssen Msd Google grants Techsoup Lookmysite Ipsen Servier UICC Merck Abbvie Mundipharma United Medical Takeda Astellas

[Câncer de Pele Melanoma] Renato Martins de Souza Lima

Aprendendo Com Você



Essa entrevista foi preenchida em 28/08/2018

  • Instituto Oncoguia - Quem é você? (idade, profissão, tem filhos, casada, cidade e estado?) Renato - Tenho 48 anos, economista (professor aposentado), 2 filhos e sou de Belo Horizonte, MG.
  • Instituto Oncoguia - Como foi que você descobriu que estava com câncer? Renato - Percebi o surgimento de um tumor na garganta.
  • Instituto Oncoguia - Você apresentou sinais e sintomas do câncer? Quais? Renato - Surgimento do tumor na garganta, dores no corpo, principalmente ombro e costas.
  • Instituto Oncoguia - Quais dificuldades você enfrentou para fechar o seu diagnóstico? Renato - Muitas, principalmente para determinar o primário, os exames sempre se mostravam inconsistentes.
  • Instituto Oncoguia - Como você ficou quando recebeu o diagnóstico? O que sentiu? No que pensou? Renato - Muito difícil responder a essa pergunta. É um momento difícil, é como uma sentença de morte.
  • Instituto Oncoguia - Qual foi a sua maior preocupação neste momento? Renato - Meus filhos, são muito jovens ainda, me preocupa a possibilidade de não mais estar presente em suas vidas.
  • Instituto Oncoguia - Você já começou o tratamento? Em que parte do tratamento você se encontra nesse momento? Se já finalizou, conte-nos um pouco sobre como foi enfrentar todos os tratamentos? Renato - Estou em processo de decisão do tratamento, ainda aguardando o resultado de uma imuno-histoquímica, já realizei uma cirurgia para retirada de uma parte do tumor para esses exames (anatomopatológico e imuno-histoquímica), justamente por causa da dificuldade em se determinar com exatidão o primário. É cansativo e doloroso passar por todos esses procedimentos, exames e espera dos resultados.
  • Instituto Oncoguia - Em sua opinião, qual é o tratamento mais difícil? Por quê? Renato - Não gostaria de passar pela cirurgia de retirada do tumor, pois segundo informações do cirurgião de cabeça e pescoço que me acompanha junto com o oncologista, é uma cirurgia muito agressiva, que certamente me mutilará e deixará varias sequelas. Isso é o que mais me assusta, não voltar a ter a possibilidade de uma vida normal,ou com mais qualidade, de ter que depender sempre da ajuda de terceiros, a dor e a dificuldade do pós operatório. Sei do que falo pois retirei um tumor cerebelar em 2013 e o pós operatório foi muito doloroso, demorado, dependia de terceiros para tudo, até para comer, não gostaria que meus filhos me vissem passar por isso novamente.
  • Instituto Oncoguia - Você sentiu algum efeito colateral diante ao tratamento? Como lidou com isso? O que te ajudou? Renato - Ainda não estou realizando nenhum tratamento, pois ainda estamos aguardando o resultado do imuno-histoquímico para que os médicos decidam o tratamento, mas já percebo muito cansaço, dificuldade de respirar e muita dor no corpo
  • Instituto Oncoguia - Como foi/é a sua relação com seu médico oncologista? Renato - Ainda é recente, mas é muito boa, é um excelente profissional, cheguei até ele por indicação, por isso já sabia se tratar de excelente profissional.
  • Instituto Oncoguia - Você se relacionou com outros profissionais? Se sim, quais e por quê? Renato - Não.
  • Instituto Oncoguia - Você fez ou faz acompanhamento psicológico? Se sim, conte-nos um pouco sobre a importância desse profissional nessa fase da sua vida. Renato - Não.
  • Instituto Oncoguia - Como está a sua vida hoje? Renato - Em compasso de espera. Estou aguardando o resultado desse último exame para definirmos o tratamento e sé então decidir como será minha vida. Já sou aposentado por causa do tumor que retirei em 2013, mas estava desenvolvendo um projeto de negócio e por causa da incerteza do meu futuro, estou em parado com esse projeto.
  • Instituto Oncoguia - Você continua trabalhando ou parou por causa do câncer? Renato - Estou inativo.
  • Instituto Oncoguia - Você buscou seus direitos? Se sim, quais? Renato - Sim,por enquanto busquei e consegui a isenção de pagamento de IRPF que vinha descontado em minha aposentadoria.
  • Instituto Oncoguia - Quais são seus projetos para o futuro? Renato - Realizar o meu projeto de cultivo de cogumelos comestíveis e de uma orta agroflorestal que estou desenvolvendo.
  • Instituto Oncoguia - Que orientações você daria para alguém que está recebendo o diagnóstico de câncer hoje? Renato - Difícil, pois ainda estou na fase da incerteza, mas uma coisa posso dizer, não quero morrer e vou fazer o que for possível para lutar contra o câncer.
  • Instituto Oncoguia - Como você conheceu o Oncoguia? Renato - Pesquisando sobre o resultado de uma biopsia na internet.
  • Instituto Oncoguia - Você tem alguma sugestão a nos dar? Renato - Não, ainda estou conhecendo vocês.
  • Instituto Oncoguia - O que você acha que deveria ser feito para melhorar a situação do câncer no Brasil? Deixe um recado para os políticos brasileiros! Renato - Dar acesso aos exames que possibilitam diagnosticar e aos tratamentos. Com certeza, se eu dependesse da saúde pública, estaria muito mais preocupado, pois certamente não teria tido ainda acesso a todos os exames e procedimentos a que já me submeti.


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive