Espaço do

Paciente


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Apoio
Roche Norvatis Varian Bristol Lilly Amgen Pfizer Astrazeneca Bayer Janssen Msd Google grants Techsoup Lookmysite Ipsen Servier UICC Merck Abbvie Mundipharma United Medical Takeda Astellas

[Leucemia Linfoide Aguda (LLA) ] Raylla Caroline

Aprendendo Com Você



Essa entrevista foi preenchida em 08/08/2018

  • Instituto Oncoguia - Quem é você? (idade, profissão, tem filhos, casada, cidade e estado?) Raylla - Meu nome é Raylla Carolina, tenho 27 anos, sou solteira e não tenho filhos. Moro em Coronel Fabriciano, MG.
  • Instituto Oncoguia - Como foi que você descobriu que estava com câncer? Raylla - Através de exames de sangue e mielograma.
  • Instituto Oncoguia - Você apresentou sinais e sintomas do câncer? Quais? Raylla - Em novembro de 2003, apresentei infecção de ouvido e empolei o corpo todo. Em janeiro de 2004 começaram a aparecer sintomas, como: hepatomegalia, sudorese intensa noturna, emagrecimento, ínguas e febre. 
  • Instituto Oncoguia - Quais dificuldades você enfrentou para fechar o seu diagnóstico? Raylla - Fui transferida para a capital, pois em Coronel Fabriciano não tinha suporte para crianças. Sendo assim, fiz todo tratamento lá. 
  • Instituto Oncoguia - Como você ficou quando recebeu o diagnóstico? O que sentiu? No que pensou? Raylla - Não sabia da gravidade, pois ainda era uma criança. Hoje entendo e lembro de todas as dificuldades, já que 14 anos se passaram. Me sinto forte por ter vencido. 
  • Instituto Oncoguia - Qual foi a sua maior preocupação neste momento? Raylla - O que me preocupava era ver meus amigos de tratamento morrendo. Sempre pensava: "será que vou vencer?". Foi uma fase muito ruim. 
  • Instituto Oncoguia - Você já começou o tratamento? Em que parte do tratamento você se encontra nesse momento? Se já finalizou, conte-nos um pouco sobre como foi enfrentar todos os tratamentos? Raylla - O tratamento que fiz durou 2 anos e meio. Foram muitos ciclos de quimioterapia, os efeitos foram intensos durante todo o tratamento. Tive vômitos, depressão, queda de cabelo e inchaço devido ao uso elevado de corticoides. 
  • Instituto Oncoguia - Em sua opinião, qual é o tratamento mais difícil? Por quê? Raylla - A quimio é bastante complicada. Uma vez que os efeitos da mesma mexem intensamente com nosso psicológico.
  • Instituto Oncoguia - Você sentiu algum efeito colateral diante ao tratamento? Como lidou com isso? O que te ajudou? Raylla - Muitos vômitos e depressão.
  • Instituto Oncoguia - Como foi/é a sua relação com seu médico oncologista? Raylla - As melhores possível. Me deram todo o suporte sempre que precisei.
  • Instituto Oncoguia - Você se relacionou com outros profissionais? Se sim, quais e por quê? Raylla - Sim, técnicas de enfermagem e laborataristas. 
  • Instituto Oncoguia - Você fez ou faz acompanhamento psicológico? Se sim, conte-nos um pouco sobre a importância desse profissional nessa fase da sua vida. Raylla - No início da descoberta sim. Negava o diagnóstico por não saber o que estava de fato acontecendo. Depois eu não quis ir mais, mas na casa de apoio que fiquei hospedada em BH, tive acompanhamento de terapeuta ocupacional e psicólogos. 
  • Instituto Oncoguia - Como está a sua vida hoje? Raylla - Normal. Trabalho, estudo, pratico atividades físicas e tenho uma excelente saúde. 
  • Instituto Oncoguia - Você continua trabalhando ou parou por causa do câncer? Raylla - Na época tive que parar de estudar, comecei a trabalhar quando já havia me curado. 
  • Instituto Oncoguia - Você buscou seus direitos? Se sim, quais? Raylla - Meus pais correram atrás de tudo.
  • Instituto Oncoguia - Quais são seus projetos para o futuro? Raylla - Casar, formar, ter filhos e continuar tendo uma boa saúde. 
  • Instituto Oncoguia - Que orientações você daria para alguém que está recebendo o diagnóstico de câncer hoje? Raylla - Paciência e fé em Deus. Fazer tudo o que os médicos recomendam. Ter uma alimentação saudável, tomar todos os remédios e ir em todas as consultas. 
  • Instituto Oncoguia - Como você conheceu o Oncoguia? Raylla - Mexendo na internet, por um acaso. 
  • Instituto Oncoguia - Você tem alguma sugestão a nos dar? Raylla - Incentivar as pessoas a cuidarem sempre da saúde. 
  • Instituto Oncoguia - O que você acha que deveria ser feito para melhorar a situação do câncer no Brasil? Deixe um recado para os políticos brasileiros! Raylla - Precisamos de uma melhora geral na saúde, mas se tratando de câncer, melhorar os recursos e agilizar os processos de diagnóstico. 


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive