Espaço do

Paciente


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

[Câncer de Boca e Orofaringe] Nadia Ferreira Santos

Aprendendo Com Você



Essa entrevista foi preenchida em 29/11/2019

  • Instituto Oncoguia - Quem é você? (idade, profissão, tem filhos, casada, cidade e estado?) Nadia - Sou a Nadia, tenho 65 anos, aposentadoria, sem filhos, viúva e Caxias do Sul, RS.
  • Instituto Oncoguia - Como foi que você descobriu que estava com câncer? Nadia - Estava com afta e, como demorava para cicatrizar, procurei o dentista que solicitou uma biópsia e confirmou o câncer.
  • Instituto Oncoguia - Você apresentou sinais e sintomas do câncer? Quais? Nadia - Não, não me preocupei.
  • Instituto Oncoguia - Quais dificuldades você enfrentou para fechar o seu diagnóstico? Nadia - Nenhuma.
  • Instituto Oncoguia - Como você ficou quando recebeu o diagnóstico? O que sentiu? No que pensou? Nadia - Tranquila, só pensei na cura.
  • Instituto Oncoguia - Qual foi a sua maior preocupação neste momento? Nadia - Receber a indicação de um bom cirurgião. Moro um pouco mais de 3 horas do Sul, então não conhecia nenhum cirurgião.
  • Instituto Oncoguia - Você já começou o tratamento? Em que parte do tratamento você se encontra nesse momento? Se já finalizou, conte-nos um pouco sobre como foi enfrentar todos os tratamentos? Nadia - Operei em meados de março e iniciei a radioterapia em maio. Como optei por fazer em outra cidade, precisei ver hospedagem próxima ao hospital - já que estava sozinha.
  • Instituto Oncoguia - Em sua opinião, qual é o tratamento mais difícil? Por quê? Nadia - Só fiz radioterapia.
  • Instituto Oncoguia - Você sentiu algum efeito colateral diante ao tratamento? Como lidou com isso? O que te ajudou? Nadia - Sim, aftas e candidíase, que dificultaram muito na alimentação. Fiz várias seções de laser e, nos dias mais difíceis, ia antes e depois da radioterapia.
  • Instituto Oncoguia - Como foi/é a sua relação com seu médico oncologista? Nadia - Encontrei médicos maravilhosos. De imediato não me preocupei com a simpatia dos médicos e sim com o profissional, hoje temos um bom relacionamento médico/paciente.
  • Instituto Oncoguia - Você se relacionou com outros profissionais? Se sim, quais e por quê? Nadia - No hospital tinha equipe multidisciplinar e me dei bem com todos. Enfermagem, nutricionista etc... Como fiz o meu tratamento particular, me preparando para cobrar do convênio posteriormente, fiz algumas solicitações que eles não estavam preparados. Carimbos com CRM e outras burocracias...
  • Instituto Oncoguia - Você fez ou faz acompanhamento psicológico? Se sim, conte-nos um pouco sobre a importância desse profissional nessa fase da sua vida. Nadia - Após o fim da radioterapia tive uma depressão muito forte e perdi muito peso. Meus familiares ficaram muito preocupados. Não posso deixar de citar minha prima e minha sobrinha, que desde a operação estiveram todo o tempo a meu lado. Elas marcaram psiquiatra para mim e eu aceitei...
  • Instituto Oncoguia - Como está a sua vida hoje? Nadia - Tranquila. Continuo com as sequelas da radio, pouca abertura na boca, sentindo muita acidez (como se a minha saliva fosse de ácido o que queima língua e lábios). O desconforto é grande.
  • Instituto Oncoguia - Você continua trabalhando ou parou por causa do câncer? Nadia - Sou aposentada. Faço artesanato e muitos trabalhos manuais, mas com a depressão fiquei parada.
  • Instituto Oncoguia - Você buscou seus direitos? Se sim, quais? Nadia - Sim, continuo buscando. Hoje mesmo vi a possibilidade de pedir isenção do IRPF.
  • Instituto Oncoguia - Quais são seus projetos para o futuro? Nadia - Viver! Viver com qualidade de vida... Está sempre foi a meta.
  • Instituto Oncoguia - Que orientações você daria para alguém que está recebendo o diagnóstico de câncer hoje? Nadia - Se agarre a vida! Não perca a esperança que tudo vai dar certo.... Sou otimista de prontidão!
  • Instituto Oncoguia - Como você conheceu o Oncoguia? Nadia - Procurando por efeitos colaterais da radioterapia. Após o final do tratamento fiquei com inchaço embaixo do queixo e sempre faço massagem na área. De vez em quando sinto a saliva com muita acidez (chega a queimar a pele da boca, língua e rosto). Sai tanto líquido que chego a babar durante o sono.
  • Instituto Oncoguia - Você tem alguma sugestão a nos dar? Nadia - Sim, mais divulgação sobre os efeitos colaterais da radioterapia antes, durante e depois do tratamento.
  • Instituto Oncoguia - O que você acha que deveria ser feito para melhorar a situação do câncer no Brasil? Deixe um recado para os políticos brasileiros! Nadia - Os políticos não se preocupam... O povo continua votando nos mesmos que agora querem cobrar o SUS, sem se preocupar com o povo. Votem melhor! O tratamento é caro, muito caro. Não a privatização do INCA.


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive