Espaço do

Paciente


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

[Câncer de Mama Avançado] Fernanda Rocha Kaddoura

Aprendendo Com Você



Essa entrevista foi preenchida em 18/08/2016

Fernanda Rocha Kaddoura
  • Instituto Oncoguia - Quem é você? (idade, profissão, tem filhos, casada, cidade e estado?) Fernanda - Tenho 38 anos, sou médica, tenho uma filha de 3 anos, casada há 14 anos, moro em Belo Horizonte, Minas Gerais.
  • Instituto Oncoguia - Como foi que você descobriu que estava com câncer? Fernanda - Em uma viagem de férias em janeiro 2016, senti um nódulo na mama direita, mas como minha filha amamentava( sim aos 3 anos ela ainda amamentava) imaginei que fosse um Ducto lactífero, voltei em fevereiro trabalhando uma rotina de plantões, esqueci o nódulo, em março após atender uma paciente com câncer de mama metastático, resolvi fazer uma mamografia e ultra som, quando a médica terminou o ultra som resolveu biópsiar o nódulo das mamas e axilas na hora estava muito tranquilo fiz a biópsia na terça 01/03 e na sexta 04/03 fui buscar o resultado( apesar de médica nem imaginava) e pra minha surpresa: Carcinoma dúctal invasor grau III, HER2 +, metástase axilar. Como chorei naquele momento. Mas eu tinha certeza que apesar de todo medo Deus cuidaria de mim e não iria falhar.
  • Instituto Oncoguia - Você apresentou sinais e sintomas do câncer? Quais? Fernanda - Apresentei um nódulo palpável endurecido na mana direita.
  • Instituto Oncoguia - Quais dificuldades você enfrentou para fechar o seu diagnóstico? Fernanda - Graças a Deus não encontrei primeiro fiz o ultra som de mama( como a médica era muito prestativa ao perceber as características do nódulo), nem deixou que eu saísse da mesa de exames já biópsia, imunohistoquimica.
  • Instituto Oncoguia - Como você ficou quando recebeu o diagnóstico? O que sentiu? No que pensou? Fernanda - Eu fui buscar o resultado tão tranquila, na verdade não imaginava, como fiz os exames por conta própria e não pensamos nunca que isso pode nos acontecer... Estava ouvindo uma música no carro e veio em meu coração e se for um carcinoma in situ? Eu respondi pra mim mesma: não isso é um fibroadenoma. Aquela música ficou audível demais e a letra dizia: se estou cercado pelo medo Tu és fiel não vais falhar... Meus ficaram emaranhadas, meu coração apertou... E qdo peguei o resultado é li... Meu Deus conferi pra ver se o exame era meu mesmo, e chorei ali mesmo sozinha chorei, tremi, não conseguia dirigir, liguei para meu esposo lembrei que ele estava viajando e não queria coloca- lo desesperado desliguei aos prantos liguei pra minha irmã e contei...
  • Instituto Oncoguia - Qual foi a sua maior preocupação neste momento? Fernanda - Minha filha, tão pequena, tão sonhada, fiz um tratamento de fertilização in vitro, queria vê-la crescer, ensinar, forjar seu caráter. Meu marido, como ia lidar com isso... Minha mãe (tinha perdido meu pai há 1 ano tão recente), meus irmãos... O pior medo, como seria o tratamento há quanto tempo eu tinha esse tumor e não sabia?!
  • Instituto Oncoguia - Você já começou o tratamento? Em que parte do tratamento você se encontra nesse momento? Se já finalizou, conte-nos um pouco sobre como foi enfrentar todos os tratamentos? Fernanda - No dia 07/03 passei por uma consulta com mastologista e oncologista( não me senti confortável com elas) fiz vários exames um PET-CT mais importante pq por se tratar de um exame que marcaria o rumor e as metástases caso ouvisse a distância, mudaria todo o tratamento, passei por um oncologista que foi uma bênção me ouviu, não correu na consulta, me esclareceu todo o tratamento, no dia 31/03 comecei a tão temida quimioterapia vermelha, fiz 4 ciclos de 21/21 dias, passei mal ( enjoo, dores no corpo, fadiga, fraqueza, cefaleia) por 10 dias, os outros 11 ficava ótima, após 15 dias da primeira quimio perdi o cabelo, não chorei ( a vaidade sumiu naquele momento) eu queria viver, apesar de nunca me imaginar sem cabelo eu não sofri, fiz 4 ciclos sem nenhuma ontercorrencia( neutropenia, infecção). Agora estou no ciclo da quimioterapia branca 6/12 e anticorpo monoclonal. Outra bênção de Deus pra minha vida, por que a medicação que o médico sugeriu, estava em estudo fase II no Brasil e o meu plano não autorizou por que só era liberado para metástases a distância e eu tinha apenas metástase axilar. Ficaria inviável para mim fazer particular, eu precisaria de 4 ciclos, como não poderia fazer iniciei as outras medicações autorizadas, confiante que nossa fé precisa ser inteligente, irei e coloquei diante de Deus a necessidade e minhas impossibilidades, tive um intervalo de 10 dias( por que minha filha estava de férias e queria levá-la pra viajar após o estresse da quimio vermelha) viajei e quando voltei a medicação estava aprovada para terapia neoadjuvance no Brasil, sendo assim o plano autorizou e estou fazendo o duplo bloqueio para HER2 positivo. Se Deus quiser em novembro farei mastectomia total e esvaziamento axilar.
  • Instituto Oncoguia - Em sua opinião, qual é o tratamento mais difícil? Por quê? Fernanda - A descoberta do câncer, seguida das quimioterapias sabermos que atinge células malignas e todas as outras células e passar mal, ficar dias sem energia, sem paladar. Imaginando que vc não pode pegar uma infecção que isso seria igual internação( isso me apavorava pq em casa faço cana compartilhada minha filha desde que nasceu dorme no meu cantinho, se errado? Não sei! Mas depois que adoeci não arrependo de nada em relação a deixar ela grudadinha em mim) por que em primeiro lugar Deus que nos sustenta depois, ela que nos dá vontade motivo pra reagir, levantar e viver!!!
  • Instituto Oncoguia - Você sentiu algum efeito colateral diante ao tratamento? Como lidou com isso? O que te ajudou? Fernanda - Muito! Nas primeiras químios ( enjoo, fraqueza, cansaço nas pernas, dores fortes na cabeça precisei fazer ressonância de tanto que doía) ganho de peso! Eu usava medicação antiemética, comidinhas leves e muito líquido água de coco, água aromatizada ( gengibre, hortelã) repouso nos 10 primeiros dias. Tive que colocar um cateter central de inserção periférica (PIC) pq não estava tendo veias para os exames e as químios semanais!
  • Instituto Oncoguia - Como foi/é a sua relação com seu médico oncologista? Fernanda - Como eu citei antes, eu pedi a Deus um oncologista que me ouvisse, deixasse eu falar o que sentia, desse importância às minhas queixas, entendesse minhas dificuldades como paciente. E ele é realmente assim, Dr Alexandre Jacome, calmo, ouve tudo que falo, no final faz como ele quer rsrsrs afinal ele é o médico mas respeita meus anseios!
  • Instituto Oncoguia - Você se relacionou com outros profissionais? Se sim, quais e por quê? Fernanda - Sim, passei pelo mastologista que fará a cirurgia mastectomia radical e esvaziamento axilar. Ginecologia, oncogeneticista, pq no PET-CT teve uma captação no ovário que deixou duvidas( estou aguardando o teste genético) que não foi autorizado pelo plano tive que fazer particular e pedir reembolso. Oncocardiologista devido às químios.
  • Instituto Oncoguia - Você fez ou faz acompanhamento psicológico? Se sim, conte-nos um pouco sobre a importância desse profissional nessa fase da sua vida. Fernanda - Eu ainda não passei pelo psicólogo, mas acho extremamente importante pra vc realmente se abrir, contar medos, anseios muitas vezes não conseguimos fazer isso em casa com nossos familiares e ou amigos, tentamos ser fortes, passar confiança mas lá no fundo uma vontade desabar chorar, sofrer e nestas consultas podemos fazer isso, com alguém neutro e treinado pra nos ajudar!
  • Instituto Oncoguia - Como está a sua vida hoje? Fernanda - Sinto grata a Deus pq com as quimioterapias tive uma resposta patológica completa com desaparecimento dos tumores, isso não muda a necessidade de mastectomia, de esvaziamento axilar, mas muda, à margem de segurança, muda minha história de medo, pra certeza de que posso ser curada! Me sinto parada, isso me incomoda, há 5 meses sem trabalhar, com rotina de exames, químios. Mas eu creio assim essa é minha fé, Deus tem um tempo de nos fazer parar, rever valores, conceitos, tempo de deserto, de dependência total e exclusiva Dele( onde dinheiro, pressa, não a diferença, o que faz a diferença é submeter aos tratamentos por que a nossa parte precisamos fazer e esperar o Sim de Deus! Quer seja pra cura ou não). A palavra final é Dele!!! Me sinto animada pra viver cada dia, por um dia que o Senhor nos dá de vida nunca mais volta!
  • Instituto Oncoguia - Você continua trabalhando ou parou por causa do câncer? Fernanda - Parei estou afastada pelo INSS há 5 meses.
  • Instituto Oncoguia - Você buscou seus direitos? Se sim, quais? Fernanda - Sim, por enquanto o auxílio doença, retirada do FGTS.
  • Instituto Oncoguia - Quais são seus projetos para o futuro? Fernanda - Como eu falei sou médica, fiz medicina há 6 anos para tratar pacientes com câncer, me formei pra isso, passei na especialização em 2012 que coincidiu com meu tratamento para engravidar por esse motivo não me especializei. Cheguei ao câncer como paciente antes de ter minha formação oncológica, acredito que em tudo tem um propósito! Meu projeto é fazer a prova de residência em oncologia no final do ano e se Deus quiser voltar a trabalhar e poder ser uma médica melhor, entender meus pacientes e passar pra eles não uma experiência aprendida mais sim vivida de que tudo passa!!!
  • Instituto Oncoguia - Que orientações você daria para alguém que está recebendo o diagnóstico de câncer hoje? Fernanda - Chorar tudo que precisa ser chorado, mas no lugar certo! Na presença de Deus! Iniciar o tratamento e fazer tudo que for orientado pelo medico, seguir cada passo, ainda que vc tenha vontade desanimar ( pq antes de descobrir não sentimos muitas vezes nada com o tratamento iniciam tantos sintomas) erguer a cabeça e confiar que tudo passa! Precisamos escolher como passar essa fase! Buscar na família, amigos consolo! E acreditar que quando sairmos dessa seremos pessoas melhores! Não é fácil mas é possível. Olhar e entender que um dia todos nós vamos morrer e que não é por um diagnóstico de câncer que nossa vida será abreviada!
  • Instituto Oncoguia - Como você conheceu o Oncoguia? Fernanda - Na internet procurando informações depoimentos de pacientes com câncer.
  • Instituto Oncoguia - Você tem alguma sugestão a nos dar? Fernanda - Divulgar mais o site é tão importante!!!!
  • Instituto Oncoguia - O que você acha que deveria ser feito para melhorar a situação do câncer no Brasil? Deixe um recado para os políticos brasileiros! Fernanda - Acho que eles precisam rever a situação dos diagnósticos, acesso ao exame e tratamento pelo SUS, medicamentos disponíveis para o câncer e enjoos na rede conveniada ou particular assim como exames ainda não estão disponíveis, pessoas poderiam ter uma qualidade de vida e até a cura se tivessem acesso! O Brasil precisa investir na saúde preventiva os gastos seriam menor.


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive