Espaço do

Paciente


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

Apoio
Roche Norvatis Varian Bristol Lilly Amgen Pfizer Astrazeneca Bayer Janssen Msd Google grants Techsoup Lookmysite Ipsen Servier UICC Merck Abbvie Mundipharma United Medical Takeda Astellas

[Linfoma Não Hodgkin ] Cristina

Aprendendo Com Você



Essa entrevista foi preenchida em 13/05/2019

  • Instituto Oncoguia - Quem é você? (idade, profissão, tem filhos, casada, cidade e estado?) Cristina - Me chamo Cristina, tenho 46 anos, sou dona de casa, não tenho filhos, sou casada. Moro em Belo Horizonte, MG.
  • Instituto Oncoguia - Como foi que você descobriu que estava com câncer? Cristina - De repente senti uma dor muito forte do quadril até a coxa esquerdo, não passava com nenhum tipo de medicamento. Fui a vários médicos que deram inúmeros diagnósticos errados, até que fui em um ortopedista, que pediu uma ressonância.
  • Instituto Oncoguia - Você apresentou sinais e sintomas do câncer? Quais? Cristina - Até descobrir não sentia nada,foi tudo muito rápido. As vezes sentia uns disparos no peito e falta de ar aí os médicos falavam que era ansiedade.
  • Instituto Oncoguia - Quais dificuldades você enfrentou para fechar o seu diagnóstico? Cristina - Muitas. Vários diagnósticos e medicamentos errados, muito descaso até encontrar os médicos que salvaram minha vida.
  • Instituto Oncoguia - Como você ficou quando recebeu o diagnóstico? O que sentiu? No que pensou? Cristina - Meu mundo caiu. Eu cheguei a desconfiar que poderia estar com câncer, já que nenhum remédio tirava a dor. Porém, os médicos falavam que era problema muscular. Me senti no fundo do poço quando soube que era câncer avançado, mas tinha fé que iria sobreviver. Só pensava: não quero morrer.
  • Instituto Oncoguia - Qual foi a sua maior preocupação neste momento? Cristina - Pra ser sincera, só queria ficar livre da dor e que não amputassem minha perna.
  • Instituto Oncoguia - Você já começou o tratamento? Em que parte do tratamento você se encontra nesse momento? Se já finalizou, conte-nos um pouco sobre como foi enfrentar todos os tratamentos? Cristina - Já terminei o tratamento. Fiz 2 protocolos de quimio e rádio como não havia zerado o LNH me encaminharam para um TMO autólogo em agosto/2017. De lá pra cá estou em remissão e sigo com consultas a cada 4 meses.
  • Instituto Oncoguia - Em sua opinião, qual é o tratamento mais difícil? Por quê? Cristina - O primeiro protocolo de quimio foi tranquilo mas deixou sequela cardíaca, o segundo protocolo foi um pouco mais difícil tive 2 internações nesse protocolo, tive pneumonia. A rádio foi o mais fácil. O TMO autólogo foi o mais difícil.
  • Instituto Oncoguia - Você sentiu algum efeito colateral diante ao tratamento? Como lidou com isso? O que te ajudou? Cristina - Sentia a boca extremamente seca, aí me mantinha bem hidratada. Tive muitos formigamentos nos pés que com o tempo passou. No geral foram desconfortos que diante da doença eu não né preocupação muito. Só queria me curar.
  • Instituto Oncoguia - Como foi/é a sua relação com seu médico oncologista? Cristina - Passei por vários médicos ( trato pelo SUS então de tempos em tempos mudam o médico). Estou passando pelo quarto oncologista todos foram uma benção em minha vida, se interessaram pelo meu caso e fizeram o seu melhor.
  • Instituto Oncoguia - Você se relacionou com outros profissionais? Se sim, quais e por quê? Cristina - No hospital onde faço tratamento, passamos por vários médicos.
  • Instituto Oncoguia - Você fez ou faz acompanhamento psicológico? Se sim, conte-nos um pouco sobre a importância desse profissional nessa fase da sua vida. Cristina - Faço desde 2016, quando fui diagnosticada com LNH. Eu amo fazer terapia. Me ajudou e ajuda a entender e aceitar o que passei. Através da terapia aprendi a ver que a vida continua.
  • Instituto Oncoguia - Como está a sua vida hoje? Cristina - Estou bem. Vivo um dia de cada vez. Claro que às vezes tenho meus momentos de preocupação afinal o câncer acaba virando uma sombra que querendo ou não vai nos acompanhar durante a vida. Cabe a nós ter fé e vivermos na melhor forma possível.
  • Instituto Oncoguia - Você continua trabalhando ou parou por causa do câncer? Cristina - Não trabalho mais. O LNH atingiu minha parte óssea.
  • Instituto Oncoguia - Você buscou seus direitos? Se sim, quais? Cristina - Sim. Recebo do INSS.
  • Instituto Oncoguia - Quais são seus projetos para o futuro? Cristina - Continuar cuidando da minha saúde, perder o peso que ganhei com tratamento. Fazer cursos.
  • Instituto Oncoguia - Que orientações você daria para alguém que está recebendo o diagnóstico de câncer hoje? Cristina - Chore chore chore! Depois respira fundo e vai! É sofrido, mas passa e lá na frente você terá uma longa experiência de vida.
  • Instituto Oncoguia - Como você conheceu o Oncoguia? Cristina - Através de pesquisa na internet.
  • Instituto Oncoguia - Você tem alguma sugestão a nos dar? Cristina - Continuem assim.
  • Instituto Oncoguia - O que você acha que deveria ser feito para melhorar a situação do câncer no Brasil? Deixe um recado para os políticos brasileiros! Cristina - Deviam se colocar no lugar da população, o que é bem difícil. Se tomassem vergonha e parassem de roubar e tanta corrupção e investissem em pesquisas tenho certeza que encontrariam a cura do câncer.


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2020 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive