Espaço do

Paciente


Cadastro rápido

Receba nosso conteúdo por
e-mail

Tudo sobre o câncer

 
Mais Tipos de câncer

Curta nossa página

[Câncer de Mama Avançado] Angelica V. S. Melo

Aprendendo Com Você



Essa entrevista foi preenchida em 10/08/2016

Angelica V. S. Melo
  • Instituto Oncoguia - Quem é você? (idade, profissão, tem filhos, casada, cidade e estado?) Angelica - Tenho 27 anos, publicitária que trabalha no ramo securitário, recém separada e mãe de um príncipe de quase 5 anos.
  • Instituto Oncoguia - Como foi que você descobriu que estava com câncer? Angelica - Fazendo ordenha para voltar ao trabalho depois da licença maternidade. Eu tinha 24 anos.
  • Instituto Oncoguia - Você apresentou sinais e sintomas do câncer? Quais? Angelica - Apenas o módulo palpável na mama esquerda.
  • Instituto Oncoguia - Quais dificuldades você enfrentou para fechar o seu diagnóstico? Angelica - Graças a Deus o diagnóstico foi rápido, no entanto levou mais de um mês para fazer a ultrassom pelo SUS.
  • Instituto Oncoguia - Como você ficou quando recebeu o diagnóstico? O que sentiu? No que pensou? Angelica - Pensei que morreria, senti muito medo e tristeza.
  • Instituto Oncoguia - Qual foi a sua maior preocupação neste momento? Angelica - Nos cuidados com meu filho, que ainda mamava. Eu queria estar na vida dele, criá-lo e estar presente na vida dele.
  • Instituto Oncoguia - Você já começou o tratamento? Em que parte do tratamento você se encontra nesse momento? Se já finalizou, conte-nos um pouco sobre como foi enfrentar todos os tratamentos? Angelica - Ainda me trato, após o nódulo na mama tive metástase no encéfalo e outra próximo ao coração. Devido a quimio também trato um problema no coração.
  • Instituto Oncoguia - Em sua opinião, qual é o tratamento mais difícil? Por quê? Angelica - Difícil é a família que sofre junto, os maridos que ou entram na luta ou sofrem e desistem.
  • Instituto Oncoguia - Você sentiu algum efeito colateral diante ao tratamento? Como lidou com isso? O que te ajudou? Angelica - Sofri, todas sofrem. A gente vai lidando no dia a dia, muitos enjoos, vômitos, dores no corpo. A limitação diária.
  • Instituto Oncoguia - Como foi/é a sua relação com seu médico oncologista? Angelica - A príncipe foi bem ruim, graças a Deus hoje tenho um relacionamento muito querido com todos os meus médicos. Tive que mudar de oncologista e ter mais de uma opinião a respeito do tratamento.
  • Instituto Oncoguia - Você se relacionou com outros profissionais? Se sim, quais e por quê? Angelica - Sim, quando descobri a metástase procurei outra opinião e encontrei um novo amigo.
  • Instituto Oncoguia - Você fez ou faz acompanhamento psicológico? Se sim, conte-nos um pouco sobre a importância desse profissional nessa fase da sua vida. Angelica - Sim, comecei a fazer a pouco tempo e tem me feito muito bem. Trás conforto e segurança. Tentei outras vezes mas não tive afinidade, hoje encontrei a profissional certa para mim.
  • Instituto Oncoguia - Como está a sua vida hoje? Angelica - Ainda em tratamento das metástases. Tenho fé e esperança.
  • Instituto Oncoguia - Você continua trabalhando ou parou por causa do câncer? Angelica - Não parei de trabalhar em nenhum momento, ele me motiva e me anima. Amo meu trabalho.
  • Instituto Oncoguia - Você buscou seus direitos? Se sim, quais? Angelica - O único direito que busquei foi o saque ao FGTS.
  • Instituto Oncoguia - Quais são seus projetos para o futuro? Angelica - Ficar viva, fazer parte da vida do meu filho.
  • Instituto Oncoguia - Que orientações você daria para alguém que está recebendo o diagnóstico de câncer hoje? Angelica - Tenha fé, bom animo. Tenha uma vida ativa, confie em seus médicos e faça tudo direitinho.
  • Instituto Oncoguia - Como você conheceu o Oncoguia? Angelica - Pela internet, não me recordo ao certo.
  • Instituto Oncoguia - Você tem alguma sugestão a nos dar? Angelica - Continuem esse trabalho excelente, que traz informações e conforto a tantas pessoas.
  • Instituto Oncoguia - O que você acha que deveria ser feito para melhorar a situação do câncer no Brasil? Deixe um recado para os políticos brasileiros! Angelica - O tratamento é bom, mas o diagnóstico é tardio. Precisamos melhorar a velocidade do diagnóstico.


A informação contida neste portal está disponível com objetivo estritamente educacional. Em hipótese alguma pretende substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas. O acesso a Informação é um direito seu: Fique informado.

O conteúdo editorial do Portal Oncoguia não apresenta nenhuma relação comercial com os patrocinadores do Portal, assim como com a publicidade veiculada no site.

© 2003 - 2022 Instituto Oncoguia . Todos direitos reservados
Desenvolvido por Lookmysite Interactive